segunda-feira, fevereiro 27, 2006

CO-INCINERAÇÃO VAI AVANÇAR, PROVAVELMENTE EM SOUSELAS. DECISÃO SERÁ TOMADA NA PRÓXIMA SEMANA.



E AGORA DR. BAPTISTA ?
O SR. É DEPUTADO E PRESIDENTE DO PS-COIMBRA.
ALÉM DE TUDO FOI CANDIDATO À CÂMARA DE COIMBRA.

O QUE VAI FAZER ?



Aguardamos para ver a influência que o sr. dr. Baptista tem junto do actual Primeiro-Ministro.
Também aguadamos para ver a sua posição. É que não esquecemos as posições que tomou quando o Governo de António Guterres decidiu instalar o processo de co-incineração em Souselas.

Também não esquecemos a posição de então do vereador e Presidente da concelhia, Luis Vilar.

VB preocupado com as movimentações de Marinho


VB pode não ser um político competente, mas é, seguramente, uma pessoa bem informada sobre todas as movimentações partidárias dos militantes. Num destes dias Marinho jantou com algumas militantes num restaurante a norte da cidade. Aliás, se a intenção fosse conspirar decerto que o jantar não teria sido naquele lugar. Mas em tempo real ele soube quem estava e do que eventualmente se estava a discutir. Marinho começa a suscitar sérias preocupações a VB e sua equipa.

Como se tem vindo a assistir, VB não tem peso político nem capacidade de influenciar junto do Governo. Na "posta" infra em que tal assunto é tratado só faltou o fracasso na indicação de António Vilhena para a SRC, de resto está lá o essencial. Daí que, apenas poderá contar com Mário Ruivo, João Paredes e Pedro Coimbra para as eleições da federação. No entanto, estes três nomes estiveram contra ele quando o Parreirão lhe ganhou a federação. O VB bem sabe que está só, porque não cultiva a confiança, só dá valor aos "carenciados" da política.

Marinho tem de avançar já. A mudança é urgente.

domingo, fevereiro 26, 2006

PS vai assinalar um ano de Governo

O Partido Socialista assinala um ano de Governo com uma convenção do Fórum Novas Fronteiras, no próximo dia 12 de Março.

Os socialistas farão nessa altura o balanço do que foi o primeiro ano do executivo liderado por José Sócrates e estabelecem as prioridades para o futuro.

O conselho coordenador do fórum novas fronteiras, presidido por António Vitorino, esteve reunido esta tarde no centro cultural de Belém.

A reunião contou com a presença do secretário-geral do partido, José Sócrates, que será o primeiro orador na convenção do Fórum Novas Fronteiras.

Uma data que em se celebra um ano sobre a tomada de posse do Governo socialista.
aqui

Sobre o Futuro...

"Quem tem coragem para enfrentar os perigos vence-os antes que eles o ameacem"

Autor:Siro,Púbio

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Desculpe???

«Reconheço que às vezes ultrapasso os limites de velocidade, mas isso é porque sou um deputado que cumpre horários. Não sou como outros que não chegam a horas às reuniões»

Ricardo Almeida in Portugal Diário

QUEM QUER TER DE NOVO UM GRANDE PS EM COIMBRA ?




" ... A esperança não é nem realidade nem quimera. É como os caminhos da terra: na terra não havia caminhos; foram feitos pelo grande número de passantes ..."
Hsun , Lu

terça-feira, fevereiro 21, 2006

A VERDADE DA ROSA


" ... Os poderosos podem matar uma, duas ou até três rosas, mas jamais poderão deter a primavera..."
(Che Guevara)

"... Prefiro incomodar com a verdade do que agradar com adulações..."
(Lúcio Anneo Séneca)



BOM DIA...

Quem nunca perde de vista o inimigo está defendido da necessidade de descobrir fragilidades e fraquezas que se manifestam no seu próprio campo
Autor:Sperber, Manès

FIGUEIRA DA FOZ – PS e Pereira Coelho pedem auditoria à FGT

O PS pediu uma auditoria externa à FGT. A proposta foi aprovada, e o vereador do PSD Paulo Pereira Coelho votou ao lado da oposição.A oposição socialista viu ontem aprovado, em reunião de câmara, um pedido de auditoria externa às contas e actividades da Figueira Grande Turismo (FGT). Com os votos a favor dos quatro vereadores socialistas e do social–democrata Paulo Pereira Coelho e com a abstenção dos restantes quatro eleitos do PSD.
in Beiras

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

AOS PARTIDOS: ONDE ESTÁ A ...



MUITOS CRITICAM, CRITICAM O STATUS QUO DOS PARTIDOS

MAS

PERGUNTO: E QUE TAL A MELHOR JUVENTUDE SAIR DA TOCA ?

METRO MONDEGO VAI SER UMA REALIDADE EM 2008 E EM 2007 JÁ HÁ ADMINISTRAÇÃO.

A Secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, afiança que haverá Metro Mondego lá para 2008 e que em 2007 haverá já Conselho de Administração para operacionalizar e concretizar essa tarefa.
Aliás, até já se fala de alguns nomes....nenhum é político activo. A ideia é nomear gestores de facto e não políticos caciques. A necessidade de controlar o déficit estará bem presente nesse tipo de nomeações. O Estado tem de ser credível para poder exigir à sociedade civil boa gestão.
Cumprindo a máxima " dar o exemplo" a Secretária de Estado terá esse desiderato em mente.
As empresas públicas, as empresas participadas ou as entidades públicas empresariais terão, no futuro, gestores de facto e não políticos.
Assim, os Presidentes das distritais do partido da rosa e respectivos presidentes concelhios ou deixam esses cargos ou não poderão ocupar funções de gestão ou de Governo no Estado.
O PS que se cuide porque isto afinal não é, de facto, o Guterres!

BOM DIA...

"Ninguém sabe aquilo que é capaz de fazer antes de ter tentado"

Autor: Siro, Púbio

domingo, fevereiro 19, 2006

ADMINISTRAÇÃO DO CEFA NOMEADA PELO SECRETÁRIO DE ESTADO EDUARDO CABRITA


E o Victor Baptista e o PS/Coimbra a vê-los passar...
Quem ganhou a "gerra" das nomeações foram claramente as federações de Aveiro e Leiria.
Coimbra viu-as passar.
Ao contrário dos tempos idos de António Guterres, em que as Federações de Viseu, Aveiro e Leiria reclamavam algumas nomeações e criticavam a glutice de Coimbra, desta vez, Coimbra viu passar ao lado quase todos os lugares regionais. De facto, desde a CCDRC ( onde Baptista apesar de ter sugerido nomes não conseguiu impor nenhum ); DREC; DRABL; ARS ( onde Baptista também não contribuiu minimamente para a escolha ); CEFA; IRS; DRC; IEFP.
Desta feita, os nomes que constituem a administração do CEFA são :
1. Barbosa de Melo, júnior
2. Marqueiro ( ex-autarca da Federação de Aveiro do PS )
3. Marques Pereira ( jovem socialista da era Sérgio Sousa Pinto, advogado, ex-adjunto de Alberto Souto na Câmara Municipal de Aveiro )

Então sôtor Baptista ?

CARLOS CIDADE É SUB-DIRECTOR DO JORNAL DA GÂNDARA


e ( ... )

Fausto Correia, Licínio Palhavã e outros "famosos" socialistas compõem o corpo editorial deste jornal. Diríamos que Fausto tenta, assim, manter um pé no jornalismo, ele que em definitivo abraçou a carreira política há 20 anos e nunca mais quis sair dela.
É o novo movimento dos políticos em direcção do controlo da opinião pública...ser donos de jornais. A escala varia de acordo com a dimensão do político.

sábado, fevereiro 18, 2006

TÁS A BER...

Porto: estrela do ‘Big Brother’ detido pela Polícia Judiciária
Big Mário suspeito de assaltos


Mário Ribeiro, o BigMário, conhecido após ter participado na primeira edição do ‘Big Brother’, programa da TVI, foi detido pela PJ do Porto, suspeito de fazer parte de um grupo que se dedicava a assaltos à mão armada, na área do Grande Porto. BigMário ficou em prisão preventiva por ordem do Tribunal de Instrução Criminal do Porto.
aqui

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

ENSINO PRIVADO E CONSTRUÇÃO CIVIL. PS E PSD JUNTOS.


UI UI...

ISTO DAS UNIVERSIDADES PRIVADAS É QUE É UMA NEGOCIATA FIXE.




TÃO FIXE QUE POR LÁ PARAM MUITOS POLÍTICOS.
TANTOS QUE DEIXARIAM MUITOS COIMBRINHAS DE QUEIXO CAIDO...

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

PAULO TEIXEIRA, O MEDIÁTICO PRESIDENTE DA CÂMARA DE CASTELO DE PAIVA, PSD, ACUSADO EM TRIBUNAL.



O presidente da Câmara de Castelo de Paiva vai ter de
responder em Tribunal, por alegadamente ter vendido como seu
um terreno da autarquia.


O caso remonta a 1999 e foi denunciado, um ano depois, pelo vereador
socialista na Câmara de Castelo de Paiva.
Paulo Teixeira - actualmente
presidente da autaquia - é acusado de, juntamente com a mãe e o
irmão, ter vendido, como sendo da família, um terreno do município.

É certo que o Ministério Público deduziu acusação contra o autarca, mas
ainda não se sabe que crimes lhe são imputados, uma vez que o
processo permanece em segredo de justiça
.

Paulo Teixeira foi notificado em Novembro, já decorreu o debate
instrutório e já foram ouvidas as testemunhas. Contactado pela SIC, o
autarca remeteu para os próximos dias quaisquer comentários sobre o
assunto.
Tão santinho que ele parecia... ai se fosse socialista...

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

NUNO ENCARNAÇÃO É CANDIDATO À CONCELHIA DE COIMBRA DO PSD .



" ... Os detentores do poder ficam tão ansiosos por estabelecer o mito da sua infiabilidade que se esforçam ao máximo para ignorar a verdade " ...
Pasternak , Boris

O Politicaehouse identifica esta candidatura como "mais do mesmo".
Uma jovem candidatura velha.
Diríamos que é um exemplo de como " filho de peixe tem de saber nadar". E, de facto, nada bem, nada nas mesmas águas e sem sair de perto da margem. Nuno Encarnação é o paradigma do jovem licenciado pela faculdade de ciências e tecnologia de Coimbra, mediano, que mal sai das cadeiras das aulas salta para ocupar lugares de nomeação, para gerir o interesse colectivo, no caso concreto, dos figueirenses.
Filho do Presidente da Câmara de Coimbra, Nuno Encarnação licenciou-se em engenharia electrotécnica, onde não se destacou, nem como aluno, nem como associativo. Termina a licenciatura em 1997 e é imediatamente nomeado administrador executivo da Empresa Municipal Figueira Grande Turismo, onde ainda permanece. Não tem, portanto, percurso profissional próprio. É um dos exemplos de jovens boys no sentido mais amplo do termo. E é também por isso que podemos dizer que " filho de peixe, sabe nadar". É que Carlos Encarnação tem todo o seu percurso feito à custa da política, onde subsiste há mais de 25 anos.

Post Scriptum:

Anônimo disse...
Estás enganado e com pouca informação, o Jr. Encarnação antes de ir para a Figueira esteve um ano a trabalhar no INE na direcção de Marketing.
12:16 AM


Anônimo disse...
E já agora para ficar bem informado o Jr. Encarnação nunca exerceu esse curso que tirou, depois disso tirou uma pós graduação em MArketing em Aveiro, onde é docente e acabou o MBA em GEstão na Faculdade de Economia em Coimbra. Fica a informação para seu conhecimento
1:04 AM


Anônimo disse...
Você é mesmo desonesto neste blogue, não publicou as emendas às omissões e erros dessa notícia que lhe foram enviados...Mas assim se fazem os blogues não é meu caro?
9:58 AM

Caros anónimos:

Não somos obrigados a publicar as emendas que reivindica, e muito menos as omissões, sabe, apenas somos obrigados a corrigir erros ou falsidades se formos responsáveis por elas, e já o fizemos. As emendas que o amigo reivindica são informações que acrescem mas que não alteram a essência da opinião publicada. Mesmo com MBA tirado em gestão e mesmo com as aulas que o Eng.º Nuno Encarnação dá em Aveiro, após pós-graduação em Marketing, são acessórios que sentiu necessidade em tirar em virtude de ser administrador executivo de uma empresa municipal de turismo. Ou seja, fez muito bem em tirar uma pós-graduação em marketing para quem quer gerir uma empresa de turismo. Quanto ao MBA em gestão, também fez bem para quem é engenheiro e não gestor. É o mínimo que se exige.
O facto é que fez todo o seu percurso como os boys. Nomeado mal saíu da universidade e sem mais-valias profissionais para dar ao Estado.
Não tem, portanto, profissão conhecida. É um boy laranja, ponto final.
Nisso saiu ao pai. E é esta a notícia essencial.

FORÇA GONÇALO CAPITÃO!


" ... Por vezes a falta de génio não é mais do que falta de coragem ..."
Kellgren , Johan

Assim também fujo...

Fátima Felgueiras terá vivido da sua reforma durante os dois anos e meio em que esteve no Brasil, fugida à Justiça portuguesa. Pelo menos em 2004, conforme se constata na declaração de rendimentos entregue no Tribunal Constitucional (TC) e confirma fonte próxima da autarca, Fátima recebeu 48,3 mil euros em “pensões”. Por mês, a actual presidente da Câmara de Felgueiras auferiu 3449 euros durante 14 meses.As pensões foram, segundo a declaração de rendimentos entregue no TC, as únicas fontes de rendimento da autarca. No Brasil, Fátima Felgueiras queixou-se recorrentemente de dificuldades financeiras, criticando a interrupção da liquidação do seu vencimento. Fonte próxima de Fátima Felgueiras reconheceu ao CM que a autarca lhe disse por mais de uma vez passar por dificuldades. “Sei que no Brasil vivia em casa alugada e tinha a seu cargo o filho. Sabia que ela usufruía de uma reforma, mas, sinceramente, pensei que era de menor monta”, confidenciou a fonte.A autarca aufere uma reforma de 3448,97 euros mensais, decorrente da sua profissão de docente da Escola Secundária de Felgueiras, onde durante cerca de uma década ensinou as disciplinas de Português e Francês. Para a aposentação, publicada no ‘Diário da República’ de 30 de Outubro de 2002, terão sido contabilizados os anos de autarca até àquela data. Em Junho de 2003, o seu advogado, Artur Marques, entrou com uma acção, que perderia em primeira instância, pelo facto de ter sido interrompido o pagamento do salário de presidente da Câmara à sua cliente. O causídico, conforme confirmou ao CM, interpôs recurso, a fim de tentar recuperar esses vencimentos, pelo que a questão ainda não está encerrada. “A dra Fátima Felgueiras recebeu 5/6 do seu vencimento de autarca entre Janeiro e Maio, enquanto esteve suspensa do cargo pelo Tribunal, mas a partir de Junho não mais lhe pagaram”, recorda Artur Marques.
aqui

FORÇA MARINHO!


"...Quanto mais forte é um carácter, menos sujeito está à inconstância..."
Stendhal

terça-feira, fevereiro 14, 2006

200 MIL EUROS NO CARRO DO PRESIDENTE DA ACADÉMICA ?


Presidente da Académica teria 200 mil euros no carro.

Dinheiro encontrar-se-ia dividido por envelopes e parte do montante seria para entregar ao clube.
Quantia foi apreendida pela PJ nas diligências feitas na semana passada Paula Gonçalves.


A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu cerca de 200 mil euros, em dinheiro, que o presidente da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol, José Eduardo Simões, teria guardado no interior do seu carro.

Este montante estaria distribuído por envelopes e foi encontrado na sequência das buscas realizadas pela Directoria de Coimbra da PJ, no início da passada semana, à residência do dirigente desportivo, ao gabinete que ocupou na Câmara de Coimbra (quando exerceu as funções de director do Departamento de Urbanismo) e ainda à sede do clube.

Segundo o "Jornal de Notícias" apurou, parte do dinheiro que estava na posse de José Eduardo Simões seria alegadamente proveniente de donativos para a Académica/OAF, havendo também montantes que seriam seus.
Recorde-se que as buscas efectuadas na passada semana, como na altura afirmou uma fonte do clube ao JN, "tanto podem estar relacionadas com interesses cruzados da política, com o mundo imobiliário e o futebol, como também podem ter a ver com transferências de jogadores".

... gostaríamos de saber se os socialistas que o apoiarem na Académica vão fugir do navio como os ratos ?

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

DESAFIAMOS OS JOVENS VALORES DO PS A NÃO TEMEREM RESULTADOS. ISSO É TÍPICO DOS VELHOS DO RESTELO. SEJAM ALTERNATIVAS. CONTAMOS CONVOSCO.

COMO ? IMPORTA-SE DE NÃO SE ENTERRAR MAIS ?

IN DIÁRIO DE COIMBRA

" ... Os 138.516 euros que terão custado os dois números da publicação foram pagos apenas «com poupanças na área das comunicações» no instituto, nomeadamente com a redução no custo dos telefones, garante.
A notícia do “Público” esclarece que aquela verba é mais de seis vezes superior ao que custa a revista científica do IDT, “Toxicodependências”, que custará cerca de 22 mil euros por três números anuais, e que será dinheiro suficiente para financiar, durante dois anos, uma equipa de rua que inclua um veículo, três técnicos e a distribuição de kits de troca de seringas.
O facto de o primeiro número ter artigos com oito anos não mereceu comentários, mas ficou garantido que o segundo, publicado em Dezembro, se debruçou sobre a relação «entre o álcool e a toxicodependência» contendo artigos «traduzidos para português e, ao mesmo tempo, publicados em revistas estrangeiras».

Quanto ao favorecimento ao amigo e colega de partido, Filipe Nascimento, Freitas - vice-presidente da distrital de Coimbra do PSDdiz ter tido «um único critério de apreciação» para aceitar a proposta da Bioevent: a revista «detinha uma assinalável valia como elemento de discussão, informação e formação científicas» e tratava-se de «um projecto pontual que veio ao encontro de uma linha de desenvolvimento da investigação e formação existentes em Portugal sobre o assunto».

Quer dizer que se uma empresa vier ao seu encontro a sugerir-lhe uma ideia interessante de gestão, você aceita mesmo que a dita cobre o que quiser ? Não sabe que no Estado as regras das despesas públicas são um bocadinho mais rigorosas ? Mesmo gostando da ideia pelo valor em causa tinha de ter ido a concurso, ou pelo menos poderia ter introduzido a fase da negociação possível no ajuste directo, para descer assinalavelmente o preço, se realmente o interesse público tivesse presidido à sua gestão naquele instituto.

«O Filipe Nascimento apresentou-me vários projectos, tanto na Câmara Municipal de Coimbra, como no IDT e eu recusei variadíssimos deles.
Muitos foram a concurso e perderam», conta Nuno Freitas, confirmando que é amigo pessoal de Filipe Nascimento, «até de antes de ter entrado para a política».

Está a ver senhor dr. Nuno, se tivesse levado a revistaa concurso o seu amigo pessoal poderia não ter ganho, mas para isso teria de ter imposto as ideias fundamentais que pretendia na revista e depois aguardava propostas. Nomeava um juri, científico, já agora, e depois logo se via.

domingo, fevereiro 12, 2006

OS GRANDES PARTIDOS TRANSFORMARAM-SE EM INSTITUIÇÕES DE CACIQUES.


"... Um tolo encontra sempre outro ainda mais tolo que o admira ..."
in: "A Arte Poética"
Boileau , Nicolas

Não vale a pena mudar nada se os principais visados pela necessidade de mudança não querem mudar.
Só peço que nem ousem, depois, criticar ou lamentar o status quo dentro do seu partidos.
Os militantes têm de perceber, de uma vez por todas, que as suas opções condicionam e marcam, algumas vezes irreversivelmente, o futuro.
As lideranças que têm 15 e 20 anos de poder não sairão de livre e espontânea vontade.
Os laços de poder, os negócios, os "tachos" que sucessivamente ocupam, sem acrescentar valor, são o suficiente para dependerem disso como de pão para a boca e não querem sair.
As gerações futuras é que têm de pensar se é isso que querem. Se continuam a "bater com a cabeça na parede" vezes sem conta, acreditando sempre que na próxima é que é. É que de repende os quadros, os valores dos partidos com mérito próprio autónomo dos partidos podem-se cansar e o futuro pode morrer já amanhã.
Também está nas vossas mãos voltar a ter orgulho, em qualquer pondo do país, da qualidade política dos partidos em Coimbra.

A CORAGEM É UMA QUALIDADE EM VIAS DE EXTINÇAO.








" ... A coragem é filha da prudência, não da temeridade ..."
Barca , Pedro



Cada vez temos mais militantes de partidos que, de livre vontade, aderem a um partido para intervirem e contribuirem na melhoria das condições vida da comunidade mas rapidamente se transformam em clones de carneiros, todos iguais, onde apenas uma reduzida minoria honra os genes de coragem que outrora grandes políticos tiveram para mudar Portugal.

QUE VERGONHA NUNO!


Nuno Freitas, uma espécie de ídolo e nova esperança do PSD renovado acaba de ver cair uma nódua bem grande no teu pano.
Grave não só por ter contratualizado, em nome do Estado, com a sua própria irmã, mas grave também por tê-lo feito de forma dúbia e escabrosa. Uma despesa de cerca de vinte e sete mil contos adjudicados directamente à editora da sua irmã, sem qualquer fundamente que justifique a não colocação no mercado da livre concorrência tal contratação pública. O Estado teria saido muito a ganhar pois venceria o preço mais baixo.
Não vislumbramos qualquer fundamento jurídico que fundamente um ajuste directo nesta situação.
Nuno Freitas pode mesmo ter colocado em causa o seu futuro político próximo. É um mau exemplo. É mais um exemplo de gestão danosa do bem público. É mais um exemplo absurdamente óbvio de benefício indirecto próprio à conta do Estado.
Vergonhoso para um jovem quadro de quem muito se esperava!
A somar às notícias publicadas ainda na semana passada sobre as ligações pouco recomenddáveis de outro jovem quadro do PSD-Coimbra, Marcelo Nuno, a uma empresa com interesses negociais que passam pela obtenção de autorizações e licenças da Câmara Municipal, diriamos que o PSD-Coimbra só descansa mais porque o PS não está melhor, felizmente e por enquanto só apanhando os velhos do restelo socialista.
Nesta matéria os jovens quadros socialistas ou ainda gozam de credibilidade, o que pode ser uma boa nota para o futuro, ou não existem, de facto, jovens quadros no PS que se importem com o futuro do PS.

sábado, fevereiro 11, 2006

UPSSSS....mais uma bronca para os lados dos "laranjas"...

Empresa que faz a publicação tem como sócio um correligionário de Nuno Freitas no PSD

Ex-presidente do Instituto da Droga financiou revista da irmã

Nuno FreitasQuando ocupava o cargo de presidente do Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT), o ex-deputado do Partido Social Democrata (PSD) Nuno Freitas fez um ajuste directo para financiar uma revista editada pela sua irmã e cuja empresa editora tem como sócio um correligionário seu do PSD. A adjudicação foi feita depois da derrota do PSD nas eleições legislativas de 2005.Contas feitas, os dois números únicos da publicação Cérebro Toxicodependente custaram ao Estado 138.516 euros - mais de seis vezes do valor que custa a revista científica do IDT, Toxicodependências (cerca de 22 mil euros por três números anuais) e o suficiente para financiar durante mais de dois anos uma equipa de rua que ajuda a reduzir os danos de consumos de droga problemáticos, o que incluiria o veículo, o pagamento a três técnicos, e a distribuição de kits de troca de seringas. Em média, uma equipa de redução de danos custa ao IDT cerca de 50 mil euros por ano.O financiamento da publicação de dois números únicos foi autorizado já a 15 de Março do ano passado, 23 dias depois das eleições legislativas que deram a vitória ao Partido Socialista e retiraram do poder o PSD.A adjudicação foi feita por ajuste directo. Não querendo pronunciar-se sobre o processo, o actual presidente do IDT, João Goulão, afirma que "é uma decisão do anterior conselho de administração que envolve compromissos financeiros que o IDT vai respeitar".
O número 1 da revista saiu em Junho e o segundo foi publicado em Dezembro. A revista tem como editora Catarina Freitas, irmã do ex-presidente do IDT. A empresa que editou a revista Cérebro Toxicodependente, a Bioevent Consultores, está sediada em Coimbra, cidade natal de Nuno Freitas, e tem como um dos sócios accionistas Filipe Nascimento.

Filipe Nascimento é amigo pessoal de Nuno Freitas e ocupa actualmente o cargo de vice-presidente da comissão política nacional da JSD sendo nessa qualidade representante na comissão política do partido; foi candidato às eleições legislativas de 2005 pelo PSD no círculo eleitoral de Coimbra. Freitas, que é também médico, é actualmente vice-presidente da distrital de Coimbra do PSD e ocupou vários cargos nas estruturas locais e nacionais da JSD, tendo também desempenhado o cargo de vice-presidente. Foi em Agosto de 2004 que foi nomeado pelo então primeiro-ministro Santana Lopes como presidente do IDT, cargo que ocupou apenas entre Setembro de 2004 e 1 de Maio de 2005. Antes tinha sido vereador em Coimbra.Contactado pelo PÚBLICO, Nuno Freitas afirma que o processo não coloca quaisquer dúvidas em termos legais e "está disponível no IDT para poder ser consultado".Quanto ao facto de a empresa editora envolver um colega de partido e seu amigo pessoal, afirma que a proposta não partiu do IDT e foi apresentada pela própria editora feita em conjunto com um grupo de universitários, sendo "da exclusiva responsabilidade e autoria" da empresa, respondeu. Mas o director da revista e professor na área do comportamento desviante na Faculdade de Psicologia da Universidade do Porto, João Marques Teixeira, disse ao PÚBLICO: "A ideia foi do Nuno Freitas que depois falou comigo para ser responsável científico." Era da sua responsabilidade escolher os artigos que considerava importantes, cabendo os contactos para os obter à editora, Catarina Freitas.

Marques Teixeira afirma que voltou a contactar a actual direcção do IDT para continuar a revista, mas não se mostraram interessados.Nuno Freitas afirma que a participação da irmã "só é efectivamente realizada" após a sua saída do IDT e "por manifesta vontade e insistência do grupo de trabalho liderado pelo professor João Marques Teixeira". O director da revista não se recorda com precisão se Nuno Freitas já teria abandonado o cargo quando decidiu convidar Catarina Freitas para editora da revista, académica com quem já trabalhava, mas que o convite terá acontecido entre Abril e Maio. Freitas abandona o cargo a 1 de Maio.Nuno Freitas nega qualquer favorecimento a um colega de partido e, segundo declarou, houve um "único critério de apreciação": "O projecto da revista detinha uma assinalável valia como elemento de discussão, informação e formação científicas abordando com pioneirismo a relação das toxicodependências com as neurociências". Acrescentou ainda que se tratou "de um projecto pontual que veio ao encontro de uma linha de desenvolvimento da investigação e formação existentes em Portugal sobre o assunto".

A editora da Cérebro Toxicodependente, Catarina Freitas, refere que, apesar de ser doutorada em Neurociências, área onde tem desenvolvido investigação também no estrangeiro, teve "grandes reticências em ser incluída no projecto por ser irmã" de Nuno Freitas, mas aceitou depois da saída deste do IDT, já que o primeiro número é de Junho e ele saiu em Maio.Negando tratar-se de uma situação "de favorecimento", afirma que "é indiscutível que o boletim vem dar a conhecer investigações de ponta nesta área". Filipe Nascimento afirma que a empresa da qual é sócio apresentou outros projectos ao IDT que foram recusados e que este foi aceite pelo "seu brutal interesse científico e por preencher uma lacuna na área à qual se destina". Sendo gestor de várias empresas, diz: "Não é por ser militante do PSD que vou deixar de desenvolver a minha actividade profissional."

Catarina Gomes - PÚBLICO

A ÚLTIMA GERAÇÃO DE POLÍTICOS ENCHEU O "SACO" DOS PORTUGUESES. OS PARTIDOS QUE NÃO PERCEBEREM ISSO TERÃO MUITAS SURPRESAS PARA ENFRENTAR.




Esta geração de poder que vem do início da década de 90 e se prolonga directa ou indirectamente no poder há 20 anos manter-se-á enquanto as lideranças nacionais dos principais partidos não perceberem que têm de ser eles a "meter a mão na massa" sob pena de fortes penalizações locais.

Infelizmente os políticos "lapas" só saiem do poder de suas formas:
1. empurrados por lideranças nacionais, se ela quiser meter-se nisso;
2. ou excluidos dos partidos por problemas judiciais.


É que os militantes ditos de base perderam a sua capacidade de mudança. Os seus critérios de escolha mudaram em relação ao passado onde seria impensável ver, nas direcções federativas, os lideres que muitos partidos hoje têm.
Os ditos militantes nos corredores criticam, nos bastidores atiram pedras, mas na hora "h" e quando lhes é exigida uma posição frontal têm medo, cobardemene assobiam para o lado, alguns, e os outros têm os seus interesses pessoais como opção número um na sua escolha.

RESULTADO: cada vez mais os munícipes, os cidadãos confrontados com mediocridades, promiscuidades entre a política e os negócioscada vez escolhem menos as tradicionais siglas partidárias do seu coração e cada vez mais optam por dar oseu voto ao candidato que mais reconhecem competente, independentemente do partido que promove a sua candidatura.

EM SUMA: OS MILITANTES TÊM TODOS O QUE MERECEM.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

PRESIDENTE DA ACADÉMICA EM BAIXO DE FOGO


Polícia Judiciária visitou Académica.
A investigação da Judiciária sobre relações menos claras entre alguns promotores imobiliários, Académica e autarquia, cuja existência o Diário de Coimbra divulgou em Setembro de 2005, conheceu ontem novos desenvolvimentos.
Segundo apurámos, elementos daquela polícia de investigação criminal deslocaram-se ontem não só à sede do clube, mas também à câmara e à casa do ex-director municipal de urbanismo e presidente da Académica, José Eduardo Simões.

A COMISSÃO PERMANENTE DO PS MARCOU AS ELEIÇÕES INTERNAS NO PS. CONCELHIAS EM MARÇO. FEDERAÇÕES EM MAIO.



JÁ ESTÃO MARCADAS AS ELEIÇÕES INTERNAS NO PARTIDO SOCIALISTA.
EM MARÇO HÁ ELEIÇÕES CONCELHIAS NO PS.
EM MAIO HÁ CONGRESSOS DISTRITAIS NO PS.
O Politicaehouse aposta que no distrito de Coimbra poderá haver alguma renovação dentro das eleições concelhias. Alguns concelhos terão novos rostos a liderar as respectivas comissões políticas, sobretudo porque as últimas eleições autárquicas deixaram marcas e alguns dirigentes locais entenderam que era chegada a hora de renovar protagonistas pois só assim o PS poderá começar a construção de um novo futuro.
Um projecto perdedor não pode repetir lideranças, pois elas foram votadas pelos cidadãos eleitores.
Um dirigente concelhio é responsável por delinear "a" ou "as" estratégias para gerar confiança nos cidadãos, escolhendo "o" candidato e a equipa.
Depois é necessário construir uma boa oposição ao longo de 4 anos e para isso é preciso conseguir e saber atrair gente com qualidade.
Resta saber se o PS vai continuar a bater com a cabeça na parede. Se assim for, não vale a pena. Terão todos o que merecem e não vale a pena continuarem a lamentar-se a posteriori.
Terão de ter a capacidade de enterder que hoje um "...cão com uma bandeira do PS espetada no cú já nem 30% tem garantidos...".

terça-feira, fevereiro 07, 2006

de Leitura Obrigatória...

"Eu não concordei com a escolha de Vitor Sarmento como candidato do PS à Câmara Municipal, nem tão pouco como foi feita.(...) Eu penso que Vitor Batista, António João Paredes e Carlos Monteiro têm responsabilidades nos resultados do PS, nas eleições autárquicas no concelho da Figueira da Foz. Mas digo e escrevo-o. Critico, concordo, proponho alternativas, ou não o faço de todo, mas assumo-o inteiramente. Com respeito pelas pessoas que viso."

Em 5 de Dezembro de 2005 foi isto que escrevi e disse-o. Hoje, reafirmo-o. Depois de tomar conhecimento que João Paredes será candidato a presidente da Comissão Política Concelhia do PS, nas próximas eleições a realizar em finais de Março, isso não me surpreendeu. João Paredes apoiou Vitor Cunha há cerca de 3 anos, juntamente com a JS e um ano mais tarde lançou-se sozinho, perdendo por pouco mais de 30 votos. Nos últimos dois anos João Paredes tem feito muito trabalho partidário. Captação de militantes, reuniões com secções, jantares com grupos de militantes, que culminaram na interferência da escolha de Vitor Sarmento como candidato à Câmara Municipal de Figueira da Foz em Outubro de 2005.
O que me surpreende, pela negativa, é ter o apoio de alguns “ilustres” militantes que, ainda há bem pouco tempo lhe mordiam os tornozelos e diziam dele o que "Maomé não dizia do toucinho". Num formato político de “uma grande plataforma de entendimento”, seja lá o que isso for, que ninguém acredita que seja sustentável por muito tempo, João Paredes consegue captar os apoios de pessoas como Carlos Beja, Vitor Jorge, Paz Cardoso, Carlos Monteiro, Fernando Cardoso, Vitor Sarmento, Aida Cardoso, Melo Biscaia, e até alguns apoiantes de Vitor Cunha, entre outros, que nos últimos tempos estiveram sempre em “campos opostos”. Com este anúncio, outros potenciais candidatos perderam espaço de manobra. Qualquer candidato que surja neste momento, terá apoios reduzidos (pelo menos dos “senadores” já os não terá) e será sempre acusado de estar a dividir o PS da Figueira da Foz.
Reconheço muitas capacidades a João Paredes. É uma pessoa com um percurso associativo notável e muito trabalho político. No entanto, não me parece que seja o líder que o PS concelhio necessita, nem tão pouco acho que ele próprio se esteja a sentir confortável, com tanto “consenso” há sua volta. Julgo mesmo que, no seu íntimo, lá deve ir pensando que ser "chefe de fila" de uma amálgama de militante que não o reconhece enquanto líder, poder-lhe-á ser politicamente fatal no médio/longo prazo. Eu próprio fui abordado por um dos seus apoiantes para integrar ou apoiar este projecto. Não aceitei, pelos motivos que tenho vindo a expor ao longo dos anos. Revejo-me muito mais num projecto que seja genuínamente inclusivo, sem "senadores", mesmo que geracional, e que defenda os interesses da Figueira da Foz. Esse projecto não poderá ter lugares para oferecer, apenas deverá pedir aos militantes que contribuam com ideias. Esse projecto deverá ser um local onde as pessoas sejam coerentes, tenham memória, sejam solidárias, e acima de tudo, assumam as suas responsabilidades. Mas a democracia é isto. Pessoas diferentes, optam por caminhos diferentes.
Depois de passados quase quatro meses das eleições autárquicas, está feito o “branqueamento” de responsabilidades. João Paredes será o próximo presidente da Comissão Política Concelhia, terá seguramente mais de duas centenas e meia de votos, já sabe quem apoiará para a Federação Distrital e tem já um candidato à Câmara Municipal para 2009 escolhido (e este não será nenhum dos Vítores). As minorias internas, essas, continuarão a ser minorias…mas já deixaram de ser silenciosas há muito. E quem sabe se os militantes de base não confiarão o seu voto a outros que possam ainda surgir.


António Jorge Pedrosa
aqui

MEMÓRIA E VISTA CURTA.


" ...Não existe vento favorável para o marinheiro que não sabe onde quer ir ..."
Sêneca
Definitivamente começo a achar que os socialistas, militantes, não sabem verdadeiramente onde querem ir e têm muitas dúvidas sobre o que é o interesse colectivo.
Também começo a concordar com o meu colega administrador Politicae quando diz que os partidos não se salvam, até poque acho que verdadeiramente não se querem salvar, logo cada vez menos poderão almejar obter da comunidade os votos de confiança que obtiveram no passado.
Às vezes pergunto-me o que os militantes do PS pensam na hora de escolher os seus dirigentes ? Onde querem ir ?
No passado, pensavam seguramente nos que melhores condições tinham para construir o futuro e para isso contava o crédito, a confiança, a credibilidade, a competência que tinham junto das pessoas, na comunidade. Pesava o curriculum, o prestígio social, a experiência, a capacidade, enfim.
E hoje? No que pensam os militantes do PS quando escolhem os seus dirigentes? Definitivamente os seus critérios mudaram.
Hoje os seus critérios são:
1. Ver para onde cai a onda vencedora, para aderir;
2. Ver qual dos dirigentes mais facilmente lhe pode valer, em termos pessoais.
Esquecem-se que mesmo para esses dirigentes para valerem a alguém em termos pessoais é suposto que tenham crédito junto dos dirigentes nacionais e na comunidade. Ao nível local, para que possam vencer eleições, é suposto que a sociedade civil neles confie.
DEFINITIVAMENTE OS SOCIALISTAS TEIMAM EM ERRAR. TEIMAM EM COMETER OS MESMOS ERROS. ARREPENDEM-SE MOMENTANEAMENTE, MAS DEPOIS VOLTAM AO MESMO PECADO.
OS MILITANTES TÊM, PORTANTO, O QUE MERECEM E NEM VALE A PENA, DEPOIS, QUEIXAREM-SE, POIS A RESPONSABILIDADE É SUA E SÓ SUA.
O Politicaehouse aconselha os, cada vez menos, socialistas militantes merecedores da confiança da sociedade civil, depositários da já pouca confiança da comunidade, a desistirem deste novo PS, pelo menos em alguns distritos.
Não vale a pena. É de facto inútil. A mediocridade gosta da mediocridade.
Os interesses são fortes e aparentemente inabaláveis.
Há outros espaços de reflexão. Aliás, nos partidos não há já, há muito, reflexão.
Um partido fraco não vence eleições.
Por último, quem decidiu sobre os candidatos às últimas eleições autárquicas ? E quem, em cada concelho, ajudou ?

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

OUTRAS OPINIÕES PUBLICADAS EM ESTUDOS POR CONHECIDOS INVESTIGADORES DE CIÊNCIA POLÍTICA.


Por: Manuel Parés e Aguiar Falcão, investigadores de Ciência Política
«Os movimentos sociais, os grupos de ideias e as ONG na comunicação política»

Partimos da premissa da nova perspectiva em que estão imersos os sistemas democráticos ocidentais, na qual deve ser assinalada a evolução do conceito de democracia, a incidência da crise dos partidos políticos, a atitude das novas gerações, o papel omnipresente dos media, entre outros factores condicionantes. Isto explica que surjam com força movimentos sociais que respondem ao aparecimento de problemáticas sociais que requerem novas soluções que vão para além da dinâmica dos partidos. Além disso, observamos simultaneamente a constante aparição de novos grupos de ideias, por um lado, e de organizações não governamentais, ligados ou não a esses grupos, por outro, que têm como objectivos lutar por uma determinada causa e a reivindicação de direitos específicos.

Os partidos não raras vezes provocam no eleitor permanentes estados de confusão pois ora apoiam A, ora apoiam B, ora defendem a ideia X, ora defendem a ideia Y. O que Watzlawick considera com anti-imagem da comunicação, já que ao contrário de um processo de comunicação que realiza uma correcta transmissão de informação, passou-se a desinformar, a baralhar assuntos e a não discutir com competência e elevação o essencial.

Pretendemos, com esta investigação, apresentar as conclusões de um estudo que teve como objectivo compreender como é que o eleitor convive com a complexa carga de informação e desinformação dada pelos políticos, por forma a avaliar os produtos e propostas que lhe são apresentados.
Cada vez mais o cidadão eleitor valoriza mais a credibilidade, a inexistência de promiscuidades entre a actividade profissional e económica e a política e num segundo grau de importância, mas igualmente valorizado, está a capacidade de trabalho, o conhecimento, as qualificações técnicas, a experiência e, portanto, a competência reconhecida e presente no curriculum do político.
No futuro, cada vez mais os eleitores, na hora do voto, deixam de estar vinculados e agarrados ao hábito de votar neste ou naquele partido e cada vez mais vão dando a oportunidade de governar ao partido que tiver a liderá-lo mais pessoas credíveis e reconhecidas pelos cidadãos.

AVISO À NAVEGAÇÃO II


Ao cuidado do Sr. José Pedro Correia :

Recebemos um comentário do Sr. acima identificado ( e que não conhecemos ) que volta a insistir na teoria da adivinhação ( teoria muito desenvolvida nos partidos políticos ) relativamente aos autores deste blogue. E vai daí e refere " ... A história é feita por HOMENS, que se afirmam, e assumem aquilo que dizem, que fazem ou escrevem e não por ratos de esgoto que se refugiam no anonimato que um blog lhes permite para mandar "postas de pescada" sobre determinados assuntos sem nunca terem provado, nem feito nada de registo nas suas vidas..." .

Caro leitor do politicaehouse, José Pedro Correia, a ESTÓRIA é realmente feita de HOMENS que afirmam e assumem aquilo que dizem, que fazem ou escrevem. Simplesmente nenhum dos administradores deste blogue, e já são 8, pretendem ficar na ESTÓRIA ou HISTÓRIA, pela simples razão de que acreditam cada vez menos no poder dos partidos e cada vez mais no poder dos cidadãos. Quer portanto isto dizer que não nos compete lutar pela nova ordem democrática, afirmando-nos em qualquer partido ( jamais o faríamos porque os partidos não se conseguem salvar. Logo jamais salvarão e desenvolverão a comunidade. É inútil ).

Quero, portanto, dizer-lhe que este blogue, exactamente para não ficar sujeito às grosserias de quem directa ou indirectamente, militando num partido, ofenda quem aqui ( e apenas temos 3 militantes partidários nos administradores ) quer estar longe dessas organizações políticas que, em tempos cada vez mais idos, lutou desinteressadamente pela democracia e que hoje não representa mais do que grupos de amigos com interesses pessoais comuns, decidiu usar pseudónimos.

Também gostaria de lhe perguntar se quando Álvaro Cunhal e alguns camaradas seus usaram pseudónimos quando escreviam contra o regime se, para si, não foram HOMENS ?

As pessoas que decidiu visar ( e apenas conheço uma delas ) estão de facto longe de uma participação activa neste blogue, admitindo eu que tenham coisas bem mais interessantes e importantes nas suas vidas para ocupar o seu tempo. Só por total incapacidade de reflexão o leitor pode dizer o que disse. Pelo menos no que diz respeito a uma das pessoas, objecto da sua teoria da adivinhação, e que conheço, está a crescer profissionalmente em várias dimensões. Como não precisa dos partidos para nos convencer a nós, cidadãos, que tem credibilidade e seriedade, só ganha se se afastar deles. Acresce que essa pessoa que visou, curiosamente, nunca escondeu o que pensa sobre o PS em Coimbra e alguns dos seus dirigentes e foi a única que o disse e assumiu publicamente, mesmo numa altura em que era "perigoso" ir contra o dictat distrital.

Para que conste, o blogue politicaehouse, quando decidir terminar, não o fará sem divulgar os administradores que o têm animado nos últimos meses. Mas isso será feito quando nós quisermos e não quando as cobras dos partidos quiserem, para poderem atacar com o seu veneno.

Por último, tenho a confessar que me estou marimbando para que continue a sua teoria da adivinhação. Faço parte de uma tertúlia num conhecido café da cidade onde vamos sabendo sempre as últimas fresquinhas do seu partido e de outros ( admito que mais do seu ) e devo dizer-lhe que quando mais informações vou recolhendo mais vontade vou tendo de dizer o que penso.

E factos são factos "amigo". Aqui nunca se ofendeu ninguém, e quando isso aconteceu limpámos o comentário ou a notícia. Agora, com ou sem uma assinatura o que aqui vamos fazendo é o que vai sendo dito em tertúlias como a minha, nos cafés, ruas da cidade, festas, bares and etc ...

O que aqui é publicado são opiniões. Opiniões que, ainda por cima, são repetidas e repetidas por vários jornais e por vários cidadãos. Não somos, por isso, os únicos a pensar assim. Bem sabemos que o sr. Victor Baptista gostaria que houvesse um pensamento único na sociedade como há no partido a que preside, em Coimbra, porém a sociedade não é, felizmente o PS/Coimbra. Aliás, quem ainda não aprendeu, é bom que começa a entender os sinais de cansaço sa sociedade em relação aos políticos.

Pode não concordar com a opinião aqui publicada, mas isso, "amigo", é da vida! Já desafiámos os que quiserem aqui publicar artigos de opinião, fá-lo-emos, desde que os enviem para o nosso email.

Visite-nos sempre e mande-nos as suas opiniões. Publicá-las-emos.

FIGUEIRA DA FOZ - João Paredes corre para PS

João Paredes jantou com mais de 200 militantes e anunciou a sua candidatura à concelhia do PS. Não teme outros candidatos e, externamente, promete um PS mais interventivo.João Paredes juntou perto de 300 militantes na apresentação oficial da sua candidatura à concelhia do PS. Em declarações ao DIÁRIO AS BEIRAS o socialista disse que esta candidatura surgiu após o apoio de “muitos militantes”, pelo que se trata de “um projecto inclusivo, aglutinador, mobilizador e renovador”. Conseguir dar ao PS local “mais força, mais capacidade de intervenção e maior proximidade aos cidadãos”, são os principais objectivos. “Avanço depois de ter escutado as diversas sensibilidades do partido”, garantiu João Paredes, que conta com “uma plataforma de apoio visivelmente abrangente”. Refira–se que, neste jantar, marcaram posição os vereadores do PS, os deputados da assembleia municipal e os presidentes de junta. Carlos Monteiro, que nas últimas eleições internas do PS se apresentou com uma lista, esteve igualmente presente. Com as eleições previstas para o final de Março ou início de Abril, João Paredes considera “legítimo que outras candidaturas possam surgir”, mas, sublinhou, “não estamos preocupados com isso”.
aqui

Este não foi o Sr que escolheu Vitor Sarmento para a Figueira da Foz??? que é o Delegado Regional do IPJ??? e o representante de Victor Batista na Figueira da Foz com o seu amigo João Portugal???

POR FAVOR...É ALTURA DE PARAREM DE ATIRAR AREIA PARA OS OLHOS DOS MILITANTES DO PARTIDO SOCIALISTA...

O PS está a precisar de pessoas novas, não de pessoas que encarreiram em clientelismo e são subordinados de terceiros…

Mas isso só depende dos militantes da Figueira da Foz...

domingo, fevereiro 05, 2006

REGRAS LEONINAS AFASTAM PAULO VALÉRIO DE CANDIDATURA À DISTRITAL DOS JOVENS SOCIALISTAS.


AS BELEZAS DE LISBOA AGRADARAM A JOÃO PORTUGAL, POR ISSO FARÁ TUDO PARA MANTER O "TACHO".
PORTUGAL SABE QUE MANTER-SE À FRENTE DA JS É A ÚNICA PORTA PARA SE MANTER NA LISTA DE DEPUTADOS EM PRÓXIMOS ACTOS ELEITORAIS
PAULO VALÉRIO É RELATIVAMENTE INCOERENTE AO CRITICAR PRÁTICAS, MÉTODOS E JOVENS POLÍTICOS DA SUA JS E DEPOIS APOIAR QUEM NO SEU PS ACTUA E UTILIZA A MESMA PRAXIS.
O Politicaehouse abre aqui um post de livre comentário para os nossos leitores fazerem a notícia.
Limitámo-nos a transcrever dois emails recebidos para os colocar à vossa discussão.

VALÉRIO DESISTIU DE CANDIDATURA

Apesar dos incentivos de Baptista, Presidente da Distrital socialista, Valério não será, este ano, candidato à liderança dos jovens socialistas.
As razões fundamentais são a ratio de delegados destinada a Coimbra, a maior concelhia, conferirem pouca proporcionalidade atento o n.º de militantes.
Ou seja, a concelhia de Coimbra, com 40% da militância dos jovens socialistas do distrito de Coimbra, tem direito a pouco mais delegados que a Figueira da Foz.
João Portugal responde dizendo que há muitos militantes para além de Coimbra e independentemente dessa ratio poder não ser muito proporcional, Valério poderá sempre tentar convencer os outros militantes do distrito de que é melhor.

sábado, fevereiro 04, 2006

Direito de Resposta...II

Caro camarada Marco Ramalho:
Diz o povo que “pela boca morre o peixe”.Dizia eu, há dias atrás, que “a minha militância na Juventude Socialista, tal como na vida, sempre se pautou pelos valores da Liberdade, da Democracia, da Igualdade e da Fraternidade”. Esqueci-me da Verdade.E é na verdade que se constrói a política. Não faço, por isso, política em cima do joelho. Analisar com a atenção devida um documento complexo como é o Regulamento da Convenção Federativa enquanto participo numa discussão é uma arte de que não desfruto. Reservei-me no direito de o fazer mais tarde, seriamente.Como ainda não me pronunciei sobre o assunto não lhe admito que coloque palavras na minha boca. Fique com as suas que já lhe dão com que se entreter.Relativamente ao dito Regulamento digo-lhe agora que o que lá está previsto é mesmo muito grave. Violar princípios democráticos e constitucionais, como princípio da igualdade e da proporcionalidade, com a leviandade de uma criança é algo que o devia envergonhar enquanto social-democrata e enquanto secretário-nacional e cordenador de uma concelhia.Recordo-me, contudo, enquanto prestava atenção à discussão da Comissão Política Distrital, de o ver puxar dos seus "galões de democrata" (e ao Presidente da Federação também) e afirmar que o mandato que ora termina se tinha iniciado em Março de 2004 e que, como tal, era a hora de ouvir os militantes (mas não todos…) O camarada baralhou-se ou queria baralhar? É que a Convenção até foi em Soure…A política é um assunto sério e a Juventude Socialista uma organização que muito me honra pertencer. Ao contrário do que afirma eu não estou aqui para “sobreviver politicamente”. Estou aqui para servir a Js e não para me servir dela. E nisto camarada, está a grande diferença!Das ideias e projectos da Concelhia de Coimbra reservo-me no direito de nem lhe responder, pois “pior do que um cego é aquele que não quer ver”.
Jovens saudações socialistas,
João André Tralhão
Coordenador da Concelhia de Coimbra

aqui

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Exercício de Memória I


João Portugal avança para a distrital da ‘jota’

João Portugal apresentou já a sua candidatura à liderança da distrital de Coimbra da Juventude Socialista (JS), pretendendo substituir no cargo Pedro Coimbra. O ainda líder da ‘jota’ figueirense conta com “um conjunto de camaradas que me incentivaram a avançar” com uma lista que, neste momento, reúne o acordo de 16 das 17 concelhias socialistas deste distrito, faltando apenas a resposta de Mira. A equipa que se apresenta a sufrágio com Portugal “não pretende romper com o passado, mas sim dar continuidade aos projectos em curso, apresentando, também, novas ideias”.A O Figueirense, João Portugal sublinha ter presente o quadro das eleições europeias, contudo “o nosso cavalo de batalha, o nosso principal objectivo, é recuperar o maior número de autarquias e manter as que já temos do nosso lado”. E como? “Apoiando as Concelhias no que pudermos, e ‘introduzindo’ nas listas o maior número de jovens que conseguirmos”. Um projecto pensado ao pormenor, uma vez que, segundo nos disse, “temos já idealizado um forte plano de formação autárquica para estes potenciais autarcas. Ninguém nos poderá acusar com o argumento da falta de preparação”.As eleições para a distrital acontecem a 16, 17 e 18 de Abril próximo, estando agendado para Soure, a 1 de Maio, um congresso.Com eventual saída de João Portugal da presidência da ‘jota’ figueirense, em princípio será Mário Paiva (número dois da lista de Portugal) que irá desempenhar as funções de liderança neste concelho, uma situação que ainda não está completamente esclarecida. No entanto, João Portugal afirma já que “não vou abandonar a Figueira. Continuarei a ser militante figueirense, e a fazer o que puder pelo meu concelho, estando presente sempre que possível em todas as actividades”.
aqui

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Parece que o efeito "Manuel Alegre" não é só no PS...

Seis dos nove deputados do PS que pertencem à Juventude Socialista (JS) criticaram hoje o secretário-geral da organização, Pedro Nuno Santos, por ter anunciado que vai apresentar um diploma para legalizar os casamentos entre homossexuais.
Em comunicado, os seis deputados da JS declaram-se favoráveis à alteração do Código Civil proposta por Pedro Nuno Santos, mas defendem que "qualquer iniciativa sobre esta matéria deve ser tomada com passos sustentados para que as alterações legislativas tenham sucesso".
"O papel da JS nesta matéria é criar condições dentro do PS para que o PS assuma esta questão como uma prioridade", argumentam os deputados Glória Araújo, Marcos Sá, Marisa Costa, Nuno Antão, Rita Neves e Nuno Sá, sublinhando que " a JS não se constitui como grupo parlamentar autónomo do PS".
Os subscritores do documento, a que a agência Lusa teve acesso, sugerem que o secretário-geral da JS anunciou a apresentação do projecto de lei para legalizar os casamentos entre pessoas do mesmo sexo por "protagonismo político".
"As iniciativas que resultem apenas em espectáculos mediáticos cujo único benefício seja o protagonismo político de quem as promove são contraproducentes", afirmam, contestando o "timing" escolhido por Pedro Nuno Santos, que anunciou a iniciativa quarta-feira.
"Sendo esta questão do foro dos direitos, liberdades e garantias de cada cidadão, não pode estar sujeita a protagonismos individuais nem ser reclamada como pertença de um qualquer património ideológico", reforçam.
São também deputados do PS, além do secretário-geral, Pedro Nuno Santos , os membros da JS João Portugal e David Martins.

aqui

Isto está a ficar animado...e ainda não foram feitas listas...será que as haverá???

Relativamente à data recomenda-se à pessoa do Secretariado Nacional que obteve tal regulamento "pseudo aprovado" que esteja mais atenta às reuniões, ou se calhar que fique lá até elas acabarem, porque que eu me lembre a única coisa que foi aprovada foi o regulamento para os núcleos e para as concelhias, em relação às convenções federativas não houve entendimento entre o secretariado nacional e as federações pelo que, a única coisa que foi aprovada no SN foi uma sugestão às federações para que tentassem harmonizar os seus calendários eleitorais sem qualquer titulo regulamentar ou vinculativo; ora se federações como as de Braga, Porto, Lisboa, etc...não o fizeram, eu pergunto-me, será que a Federação Distrital de Coimbra deverá harmonizar o seu calendário para Maio sozinha sem que nenhuma outra Federação o tenha feito???...é a isto que se chama harmonizar???...acho que não…e vocês acham que o facto de o mandato da federação terminar em Março conforme dizem os estatutos da JS, pois a sua duração é de 2 anos, não é razão mais do que suficiente para realizar eleições???.. No que diz respeito ao rácio deve-se fazer a seguinte analise, a JS não é só constituída pelas concelhias sede de distrito, grandes cidades onde vivem milhares pessoas é também constituída por concelhias pequenas, rurais onde a densidade populacional é baixíssima, e aqui como é obvio é muito mais difícil fazer militantes pura e simplesmente porque o numero dos habitantes jovens desses concelhos é reduzido. No entanto não é por terem militantes em menor número que essas concelhias deixam de realizar um trabalho meritório na actividade politica da grande organização politica de juventude que é a JS, trabalho esse que com grande sacrifício principalmente por questões de centralidade e mobilidade realizam também a nível distrital e nacional, assim sendo acham que estas concelhias deveriam ser completamente ofuscadas sem uma representação digna em relação ao trabalho que desenvolvem por as grandes concelhias sedes de distrito que na maior parte dos casos tem muitos militantes porque foram filiados sabe-se lá como, com que fundamentos políticos e motivações???...sabiam que por exemplo um ilustre militante da concelhia de Coimbra inscreveu dezenas de militantes com a morada da sua casa???...sabiam que também com as mesmas motivações foram filiados militantes que já eram militantes da JSD???...sabiam que andam a ser feitos contactos ao nível da JSD em vários concelhos do distrito de Coimbra, como por exemplo em Soure, Tábua, etc... por parte de elementos da concelhia de Coimbra para que os seus amiguinhos da JSD nestes concelhos lhes arranjem amigos da JS para concorrerem nas eleições a delegados para a Convenção Distrital e apoiarem a candidatura que a concelhia de Coimbra diz que vai lançar???...é a isto que chamam ser socialistas???..é a isto que chamam verticalidade???...é a isto que chamam dignidade???..., não me parece que sejam estas as definições daquelas palavras.A Comissão Politica da Federação Distrital de Coimbra limitou-se a fazer um rácio progressivo que desse representatividades dignas a todas as concelhias à semelhança do que se passou, e se passa também nas outras federações como Santarém, Aveiro, Leiria, etc...Aos meus camaradas que se interrogam com estas questões quero também dizer que aqueles que estão aqui a defender, o camarada Tralhão e o camarada Valério estiveram presentes na reunião da Comissão Politica Distrital que aprovou o regulamento, que por minha sugestão lhes foi dado algum tempo extra para que pudessem analisar minimamente o regulamento da Convenção antes de iniciarmos a sua discussão e que não me lembro de nem um, nem outro a fazer nenhuma intervenção a contestar aquele rácio, fizeram efectivamente ambos várias intervenções a contestar a data da Convenção, mas nenhuma a contestar o rácio para a eleição de delegados como poderão comprovar todos o presentes na reunião, e se não o fizeram em sede própria, a Comissão Politica Distrital por que motivações é que andam agora a fomentar a indignação junto dos militantes???...será que terão de arranjar mesquinhices politicas para alimentar os seus apoiantes na falta de ideias e projectos para irem sobrevivendo politicamente???...não me parece que seja este o melhor caminhos, os apoios conquistam-se e mantém-se à custa do trabalho, da dignidade e da verticalidade.

Marco RamalhoPresidente da Concelhia da JS/Soure
Secretário Nacional e Federativo da JS

ALEGRE VOLTA AMANHÃ PARA A VICE-PRESIDÊNCIA DA A.R., REPRESENTANDO O PS


pois claro . . .

GOSTAMOS DE FACTOS. DESCOBRIMOS UM REGULAMENTO DE HARMONIZAÇÃO ELEITORAL APROVADO PELO SECRETARIADO NACIONAL.


Regulamento de Harmonização Eleitoral das
Convenções Federativas
Exposição de Motivos

( ... )
a Juventude Socialista entendeu em Congresso Nacional que se deve
harmonizar os actos eleitorais internos(...)

Decorrendo, portanto, da necessidade da JS se dedicar à sociedade e,
também, da imposição estatutária com vista à harmonização eleitoral da todas
as eleições dentro da estrutura da JS (Núcleos, Concelhias e Federações) e
após a reunião em Leiria com os Presidentes de Federação, no passado dia 19
de Novembro, o Secretariado entende apresentar a seguinte proposta de
harmonização, no cumprimento do artigo 74º dos Estatutos da Juventude
Socialista.

Artigo 1º
Período Eleitoral

As Convenções Federativas realizam-se no mês de Maio.
Artigo 2º
Do Calendário Eleitoral
1. As Federações que tenham realizado Convenções até ao final do ano de
2003, realizam eleições em Maio de 2005.

2. As Federações que realizam eleições até ao final do ano de 2004 realizam
Convenções em Maio de 2006.

Artigo 3º
Dos Processos Eleitorais
1. As Federações regulam os seus próprios processos eleitorais e organização
das Convenções Federativas, de acordo com os Estatutos da Juventude
Socialista.
AO ACTUAL PRESIDENTE DA DISTRITAL ROSINHA, JOÃO PORTUGAL, GOSTARÍAMOS QUE RESPONDESSE EM QUE FICAMOS ?

QUE GRANDES TRAPALHADAS PARA POLÍTICOS VEREADORES NO ACTIVO SE ENVOLVEREM!

Universidade de Vasco da Gama sob influência da Internacional
R.A .


O empresário espanhol Javier De Vigo e o advogado Américo Baptista, cuja Sociedade Internacional de Promoção de Ensino e Cultura (SIPEC) é proprietária do alvará da Universidade Internacional, ascenderam recentemente à Direcção da entidade detentora do alvará da Escola Universitária de Vasco da Gama.
A Escola Universitária de Vasco da Gama (Coimbra) está a procurar tirar partido da experiência da Universidade Internacional (UI), possuidora de um pólo na Figueira da Foz, cabendo aos empresários Américo Baptista e Javier De Vigo garantir a afinidade entre as duas instituições. Os dois empresários são accionistas de referência da Sociedade Internacional de Promoção de Ensino e Cultura (SIPEC), proprietária da UI e do Instituto Superior Politécnico Internacional, e membros da Associação Cognitária de São Jorge de Milreu (ACSJM), detentora do alvará da Escola Universitária de Vasco da Gama (EUVG).
Ingresso de Javier De Vigo

Criada por Norberto Canha, antigo presidente do Conselho de Administração dos HUC e ex-director da Associação Recreativa de Coimbra Artística (ARCA), a Associação Cognitária passou a contar, há pouco tempo, com novos membros da confiança de Américo Baptista ( ... ) Os autarcas do PS/Coimbra Luís Vilar, Abílio Vassalo Abreu e Victor Baptista (deputado, vereador e antigo governador civil) ( ... ) .

Segundo fontes ligadas ao processo, António Calvete, Carlos Barros da Silva, Francisco Brás de Oliveira, João Rodrigues, Luís Lourenço, Mário Pereira e Vasco Cunha – todos eles membros da Sociedade Mosteiro de São Jorge, Construções, Lda. (proprietária do terreno onde funciona a EUVG) – deixaram de pertencer à instituição sem fins lucrativos. Américo Baptista, Norberto Canha e Victor Baptista continuam a ser membros da Associação Cognitária e da Sociedade Mosteiro de São Jorge, enquanto Fernando Crespo permanece na primeira entidade e vendeu a respectiva posição na segunda.
A recente saída e entrada de membros da ACSJM coincidiu com a promessa de venda de uma área de 37,6 hectares à Tramcrone (do Grupo TCN), cuja posição contratual acaba de ser cedida à Ebony Concepts Limited (empresa inglesa sediada em Bristol).

Expansão enquadrada por projecto imobiliário

Na primeira reunião da Câmara de Coimbra efectuada em 2006, a Ebony foi autorizada a elaborar um plano de pormenor da quinta de São Jorge de Milreu destinado a avaliar se é possível dedicar 20.000 metros quadrados de terreno a habitação.
A proposta é associada ao propósito de “enquadrar o processo de desenvolvimento e expansão” da Escola Universitária de Vasco da Gama . Segundo apurou o “Campeão”, a Sociedade Mosteiro de São Jorge, Construções, Lda., de que o empresário António Calvete é sócio maioritário, prometeu vender, por cinco milhões de euros, à empresa Tramcrone (do Grupo TCN), um prédio misto com 376.400 metros quadrados.
A Associação Cognitária interveio como segunda outorgante num protocolo e contrato-promessa de compra e venda, subscrito pelas outras duas entidades, para declinar interesse pelo direito de preferência. Uma das cláusulas do acordo prevê que a terceira outorgante, Tramcrone (ou quem ela indicar), partilhe com a entidade arrendatária eventuais benefícios inerentes à capacidade de carga construtiva da quinta de São Jorge de Milreu.

Fonte ligada ao processo disse ao “Campeão” que haverá um acordo no sentido de a ACSJM se tornar proprietária das instalações da EUVG no horizonte de 20 anos.
Notificada pela TCN a respeito da cedência da respectiva posição contratual, a Associação Cognitária, através de Javier De Vigo e Américo Baptista, comunicou à Ebony ser necessário “providenciar novas áreas de construção destinadas ao desenvolvimento da EUVG”.
A Associação Cognitária acentua que sem tais áreas de construção o referido projecto de desenvolvimento fica comprometido.
Em carta datada de 12 de Dezembro de 2005, enviada ao vereador João Rebelo, a Ebony diz que a ACSJM “pretende retomar o plano de investimentos (...), sob pena de condenar a Escola Universitária de Vasco da Gama ao declínio e eventualmente ao seu fim”.
A empresa de Bristol (Inglaterra) alega que “a viabilidade económica de um processo desta natureza só será possível mediante a realização de algum investimento que permita retorno financeiro, designadamente no sector imobiliário, possibilidade que levou à consideração da criação de uma zona residencial (...)”.
A carta remetida à Câmara, pela Ebony, alude à pretensão de construção de 10.000 metros quadrados para residências universitárias, outros tantos para expansão da EUVG e 20.000 para uma clínica de serviços continuados com assistência médica.
Por presumível ligação profissional à TCN na qualidade de economista, o vereador Marcelo Nuno (PSD) invocou “eventual conflito de interesses” e declinou tomar parte na discussão e votação. Victor Baptista também se ausentou, por ser sócio da Sociedade Mosteiro de São Jorge, e Luís Vilar alegou não ter os motivos que levaram os dois edis a deixarem de intervir ( como ? ) .
Gouveia Monteiro (CDU) e Álvaro Seco (PS) votaram contra a decisão camarária, embora Carlos Encarnação tenha feito notar que o conteúdo do plano de pormenor terá de ser sujeito a deliberação da autarquia.

Ver em http://www.campeaoprovincias.com/edicao.asp?idedicao=217

NOTA: Soubemos, entretanto, que foi integralmente aprovada na sessão de Câmara um parecer técnico que impõe tais condições aos promotores que o(s) negócio(s) não será apetecível.

Ligações Perigosas...

Hoje no Campeão das Províncias faz-se jornalismo de investigação:

O campeão das Províncias desenvolve hoje uma notícia publicada por si há 3 semanas, explicando, ponto por ponto, as ligações negociais existentes entre Dirigentes do PS, PSD e empresários ligados à construção civil e ao ensino privado.

O Campeão relata a inter-relação existente entre actuais vereadores socialistas ( Luís Vilar e Victor Batista), um autarca do PSD ( Marcelo Nuno), dirigentes partidários, como por exemplo Vassalo de Abreu, militantes destacados do PS, o Advogado Américo Batista e o conhecido empresário Calvete.

A não perder amanhã nas Bancas...

não deixando de dizer que é isto que afasta os cidadãos dos partidos e da política...

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

VEM AÍ . . .



O Politicaehouse noticia, hoje, pelas 11 da noite uma nova bomba, com o título: Ligações Perigosas. Não perca. Entre aqui, à noite e saiba, em primeira mão.

VALENTIM VOLTA A DIVULGAR NOVA "CUNHA" METIDA POR MARQUES MENDES.



MAIS UMA "CUNHA" DE MARQUES MENDES


António Marques Mendes afirmou ontem ao DN que não se recorda de ter escrito duas cartas ao major Valentim Loureiro em que pedia ao presidente da Liga de Clubes que colocasse uma pessoa sua amiga na Comissão Disciplinar do organismo de futebol.
A alegada "cunha" foi revelada pelo jornal electrónico Portugaldiário.
"Não me recordo de nada disso. Não tenho conhecimento de nada", disse o pai do líder do PSD. De acordo com o Portugaldiário, Valentim Loureiro recebeu as duas cartas de António Marques Mendes metendo uma "cunha" para uma pessoa amiga ser contratada pela Comissão Disciplinar do organismo de futebol liderado por Valentim e terá acedido ao pedido, guardando ambos as missivas.

Ai Marques Mendes, Marques Mendes ...

SÓCRATES TOMA CONTA DO PS E ASSUME LUGAR DE JORGE COELHO

LEITURAS . . .



José Sócrates surpreendeu ontem a Comissão Política Nacional do PS. Assumiu ele próprio o lugar que há um ano reservou para Jorge Coelho.
Coelho, responsável n.º 1 pelo desaire das últimas eleições autárquicas, sobretudo na escolha dos candidatos do PS decidiu sair da liderança da Comissão Permanente.
Ontem, na Comissão Política Nacional, Sócrates não quis deixar a Comissão Permanente em mãos alheias e assumiu ele próprio a sua liderança. Esta decisão parece-nos ter uma única leitura: quer ser ele mesmo a reorganizar o PS, diria, reorganizar o PS da era Sócrates, não cometendo o erro que Guterres cometeu ao desligar-se totalmente do partido da rosa, deixando que ele ficasse nas mãos de alguns "barões".
Esta decisão de Sócrates só faz sentido se ele quiser mudar o PS, e mudá-lo quer dizer mudar tudo e mudar tudo nos distritos e concelhos. O secgedo de um partido que possa ser forte para ajudar o Governo é encontrar uma nova geração de lideres locais, mais credíveis, melhor aceites e mais respeitados pelos cidadãos. Sócrates percebeu que um "cão com a bandeira do PS no rabo" ( como o presidente da concelhia do PS-COIMBRA afirmara nas últimas autárquicas para justificar que Baptista teria sempre 30%, o que não aconteceu) pode não vencer eleições. É que a última palavra é do povo e o povo não é enganado durante muito tempo, todo o tempo.

Tal quer dizer que os portugueses cada vez votam menos no símbolo dos partidos e cada vez mais têm em conta a(s) personalidade(s) que os partidos candidatam.

A consequência desta decisão só pode ser uma: José Sócrates vai procurar rejuvenescer as lideranças locais do partido, refrescando práticas, modelos e organizações por forma a injectar mais credibilidade no PS junto das pessoas.
Se for esta a intenção tem o nosso aplauso.

Para tanto é necessário afirmar as limitações de mandatos internos e é necessário que o secretário-geral dê sinais claros de que quer rejuvenescer o partido.

BILL GATES VAI ENTRAR NO PLANO TECNOLÓGICO DE JOSÉ SÓCRATES


SÓCRATES CONSEGUE IMPULSO DECISIVO PARA O PLANO TECNOLÓGICO
Os acordos que o Estado celebrará hoje com a Microsoft «não inibem» a utilização de «software» livre, deixando à consideração do Executivo a utilização de outras tecnologias que não a da gigante norte-americana, garantiu Mariano Gago, ministro da Ciência e Tecnologia.
Microsoft vai avançar com um projecto de formação em literacia digital que abrangerá um milhão de portugueses até 2010. Esta medida foi anunciada ontem, na abertura da conferência anual europeia da Microsoft, que hoje termina em Lisboa, e terá uma vertente especificamente dirigida a 50 mil elementos das forças de segurança.
As parcerias entre o gigante norte-americano de software e Portugal não vão ficar por aqui, estando previsto que Bill Gates, líder da empresa, anuncie hoje novos projectos, designadamente na área da formação.
Parcerias ministeriais
O projecto de literacia digital - que foi proposto pela Microsoft - será agora desenvolvido em conjunto com o Estado, envolvendo parcerias com os ministérios da Administração Interna, Educação e da Segurança Social.Para a sua concretização, a empresa americana propõe-se formar gratuitamente os formadores. A acção irá abranger 10% da população portuguesa e segundo precisou o responsável da Microsoft Portugal, João Paulo Girbal, a prazo, o mercado ganha com essa aposta porque mais pessoas ficam habilitadas a utilizar as tecnologias de informação.
Combate ao crime
Adicionalmente, o projecto terá uma vertente especificamente destinada às forças de segurança portuguesa, sendo o respectivo protocolo hoje assinado. PSP, Serviços de Estrangeiros e Fronteiras e GNR serão as forças de segurança abrangidas por um conjunto de acções de formação.
O objectivo é expandir o uso das tecnologias de informação e comunicação na prevenção policial e na investigação criminal.

Direito de Resposta...

Exmo. Politica e house:
Serve este email para esclarecer algumas algumas situações relativas à proxima convenção distrital da JS:
* As ultimas eleições de delegados para a passada convenção realizaram-se no passado dia 11,12 e 13 de Março de 2004.
*A respectiva convenção realizou-se no dia 3 de Abril.
* Passados dois anos a CPD da JS votou por unanimidade a data de 4 de Março para a Próxima Convenção.
* Não houve antecipação de convenção nenhuma e muito menos por qualquer medo.
*A data de Maio votada na Convenção Nacional da JS, é uma data de recomendação e não vinculativa.
* As harmonizações eleitorais da JS, servem para aqueles que não querem fazer eleições e não para aqueles que se sujeitam a air a votos, como é o caso da actual direcção da JS.
* Nos ultimos meses realizaram-se congressos em muitos outros distritos.

Desta forma deve ser feita uma rectificação à noticia que é colocada neste blog, no que diz respeito a este processo. Os blogs devem servir para informar e não para criar boatos ou difamar pessoas.
Grato pela vossa atenção,
António Marques