quarta-feira, maio 31, 2006

ESTUDO DE INVESTIGADOR PORTUGUÊS REVELA DIFERENÇAS ...ENTRE POLÍTICOS.


Em alguns períodos os portugueses viveram intensamente a política. Não. Não foi só no 25 de Abril.
Também foi no tempo do PS de Soares e com a Aliança Democrática de Sá Carneiro.
E depois ? De então para cá ?
Nos países nórdicos as taxas de participação política da comunidade são elevadíssimas, porque razão tal não sucede em Portugal ?
Mesmo comparando o nosso país com os restantes países do Sul da Europa, como Espanha e Itália, a taxa de participação cívica na política situa-se acima da portuguesa quase em 16%.
A isto não será alheio a forma como os políticos encaram a actividade política.

Em Portugal, os agentes políticos são sobretudo agentes partidários e não políticos, privilegiando a vida interna dos respectivos partidos políticos, ou seja os agentes políticos mobilizam-se para vencer eleições dentro dos respectivos partidos e por causa disso são capazes de filiar outros cidadãos, como mecanismo rápido de conservação do poder interno.
Não há é mobilização dos agentes políticos, como acontece noutros países, para, mesmo fora do aparelho de Estado, fazer coisas em prol da comunidade onde estão enquadrados
.
E no seio dos partidos os militantes de hoje manifestam cegamente o seu apoio ao lider, mesmo que o lider a quem obedecem hoje seja amanhã o pior dos mundos e o pior dos mundos de hoje seja o lider a bajular amanhã.
Mas porquê ? Pergunta-se. Porque a sociedade portuguesa é uma sociedade frágil, dependente dos pequenos favores e onde se vive genericamente com dificuldades. Por isso, as humilhações de não se ter opinião própria são menores se comparadas com os favores pessoais de que podem vir a beneficiar...

Pois é...comente.

segunda-feira, maio 29, 2006

O QUE VAI MUDAR NO ESTATUTO DO DEPUTADO.


A próxima grande revolução rumo à credibilização de quem faz política, e o faz em nome do interesse público, vai ser a da alteração do Estatuto do Deputado. Talvez as mudanças que se avizinham venham a impedir no futuro que deputados como Pina Moura possam ser parlamentares e ao mesmo tempo presidentes de grupos económicos com interesses em áreas nevrálgicas da economia portuguesa...

Deixe aqui a sua opinião sobre o que deveria mudar...
O Politicaehouse vai noticiando o que vai efectivamente ser proposto para mudar pela maioria PS...bem como vai reagir o respectivo grupo parlamentar sabendo-se que a ordem vem do palácio de S. Bento.

quinta-feira, maio 25, 2006

PERSPECTIVAS .... 2009

SE HOUVER CANDIDATURA INDEPENDENTE EM COIMBRA PROTAGONIZADA PELO MOVIMENTO QUE FOI O SUPORTE DE MANUEL ALEGRE NAS PRESIDENCIAIS...COMO FICARÁ O PS?
É verdade. Ainda agora houve eleições autárquias. Ainda agora foram renovadas as maiorias nos vários órgãos municipais e já se fala em 2009.
Porém, a verdade é que 2009 está condicionada por multiplos factos, acontecimentos e dados objectivos.
Nem é tão líquido que o PSD estará a fazer o seu último mandato. Nem é tão líquido o contrário. Tudo depende.
E depende de um conjunto de múltiplos cenários que poderão dar resultados diametralmente distintos.
Lançamos hoje para discussão alguns desses cenários:
1. Durante estes próximos 3 anos o MOVIMENTO DE CIDADÃOS ganha estofo, escolhe um líder que se afirme através de multiplas iniciativas, em defesa da cidade e do concelho, como sucedeu recentemente na Assembleia da República, quer apresentando petições ou projectos legislativos, quer propondo à Assembleia Municipal propostas de Regulamentos ou propostas que terão de ser votadas; ( no fundo fazendo a verdadeira oposição )
2. O lider escolhido alcança um conjunto de importantes alianças estratégicas na sociedade civil que colhe a simpatia de várias instituições marcantes do concelho e algumas fatias descontentes dos principais partidos; ( e há disso no PSD e no PS )
3. A Co-incineração avança e os potenciais candidatos à presidencia da edilidade, oriundos dos principais partidos, sobretudo do PS, não conseguem deixar de respeitar o directório partidário nacional;
4. A principal oposição, amarrada às figuras desgastadas exteriormente, como é o caso da de Luis Vilar, lider concelhio e vereador suspenso, passam os 3 anos sem dar à cidade ou ao concelho motivos para lhes darem um voto de confiança.
... comente

segunda-feira, maio 22, 2006

Para reflectir...

O Conselho da Cidade de Coimbra admitiu, ontem, a possibilidade de avançar com uma candidatura à presidência da Câmara Municipal nas próximas eleições autárquicas, em 2010. A proposta foi apresentada por José Dias, ex-assessor de Jorge Sampaio, na conferência de encerramento do "II Congresso pela cidade de Coimbra", que reuniu, durante dois dias, especialistas das várias áreas da vida citadina, ao nível da qualidade de vida urbana, emprego, economia, inovação, ambiente, governação e participação cívica.
O antigo assessor da presidência da República e membro da referida associação cívica deixou implícita na sua proposta a ideia de que Coimbra não tem sido bem governada e, por isso, "se o Conselho da Cidade ganhar músculo, no terceiro congresso, deve disputar a liderança da Câmara com uma lista de cidadãos independentes".Outra proposta apresentada no congresso foi a da candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura em 2012. Adília Alarcão, da comissão executiva, referiu que será criada uma comissão de trabalho para preparar a proposta, para a qual será convidado o Director Regional de Cultura do Centro, Pedro Pita.
Das conclusões do congresso saíram outras preocupações, nomeadamente a necessidade de se avançar com a concretização do programa previsto para o Teatro Sousa Bastos e a criação de um Observatório da Cultura e das Artes. Ainda na área cultural, falou-se na necessidade de "reformular e reequipar o Teatro Académico Gil Vicente, o Teatro Paulo Quintela e o Auditório da Universidade". Adília Alarcão, que ontem manifestou vontade de se afastar do Conselho Executivo da associação cívica, falou, considerou fundamental definir "melhor os objectivos para o Teatro da Cerca de S. Bernardo e para a Oficina de Teatro, bem como para São Francisco, onde há condições físicas para aumentar e diversificar a produção cultural, fidelizar públicos e gerir inteligentemente a programação".
O Conselho da Cidade propôs ainda a realização de um referendo sobre a alienação da penitenciária de Coimbra, que será alargado a outros espaços públicos de Coimbra que correm o risco de ser alienados, de que é exemplo o Quartel General.
E os Partidos políticos??? já escolheram os candidatos???

quarta-feira, maio 17, 2006

segunda-feira, maio 15, 2006

BOM DIA...

"Cresci como filho De pessoas que têm bens. Meus pais Puseram-me um colarinho em volta do pescoço e Habituaram-me a ser servido E ensinaram-me a arte de mandar. Mas quando cresci e olhei à minha volta Não me agradaram nem as pessoas da minha classe, Nem o comando nem tampouco ser servido. Abandonei minha classe e associei-me Às pessoas inferiores."

Bertold Brecht

quinta-feira, maio 11, 2006


hoje no Campeão das Províncias - Vinagretas

Vilar prolixoO presidente da Comissão Política Concelhia do PS/Coimbra acaba de usar a pena para, através de As Beiras, verberar a “demagogia sobre a co-incineração” [de resíduos industriais perigosos]. Curioso é que Luís Vilar recorra a artigos de opinião para responder a camaradas. Desta vez, o visado é Fausto Correia (eurodeputado, antigo secretário de Estado e ex-presidente da Federação conimbricense do Partido Socialista).
Como Fausto Correia tem chamado a atenção para uma deliberação tomada em 1999 pela Comissão Política da Federação (CPF), assinalando que a mesma continua em vigor, o líder concelhio do PS/Coimbra ilude a questão de uma penada. Diz ele (é ler para crer) que a deliberação [contra a co-incineração] está revogada por a actual composição da CPF ser diferente da de há sete anos.

Gostaríamos de perguntar se com a composição da actual Assembleia da República toda a produção legislativa feita em Portugal pelos anteriores parlamentares também se encontra tacitamente revogada com a composição da actual Assembleia da República? É que a admitir-se como boa esta reflexão teríamos decisões administrativas e diplomas válidos apenas por períodos de 4 anos.
E esta Heim ??? Grande raciocínio ...

quarta-feira, maio 10, 2006

CARLA VIOLANTE "LEVADA AO COLO" POR LUIS VILAR. DEPARTAMENTO FEDERATIVO DAS MULHERES VAI A VOTOS EM JUNHO.


Angela Pinto Correia, em início do ano de 2006, decidiu sair da liderança das mulheres socialistas do distrito de Coimbra, não sem antes lançar a ex-vereadora de Góis, Lurdes Castanheira para o seu lugar, fazendo vários contactos nesse sentido.
Nessa altura já Carla Violante, uma jovem militante do PS muito critica de Angela Pinto Correia e do seu trabalho à frente daquele departamento, e que nos últimos anos tem sobressaido por ser apoiada, incentivada e levada ao colo pelo presidente da Concelhia Luis Vilar, dentro do PS, manifestava vontade de concorrer a essa estrutura distrital do PS contra Angela Pinto Correia ou qualquer outra mulher com essa vontade.
Eis senão quando, Angela Pinto Correia dá um volte-face e pressionada pela concelhia do PS de Coimbra decide apoiar Carla Violante, apesar de ser um apoio tímido e de difícil suporte, pois, algures no início do ano já havia contactado várias estruturas concelhias mobilizando-as a apoiar Lurdes Castanheira contra Carla Violante.
Lurdes Castanheira
, ex-vereadora de Câmara Municipal de Gois, dirigente de várias instituições de solidariedade social e da Misericórdia de Góis, tem no seu passado recente um trabalho de reconhecido mérito no seu concelho e disse é prova as várias manifestações de carinho e poio da população de Góis, em vários momentos da sua vida.

JUDICIÁRIA ACABA POR SER, PARA O CIDADÃO, A MELHOR GARANTIA DE CONTROLO DA DEMOCRACIA.


A Polícia Judiciária é, ainda, uma instituição que tem merecido o aplauso da generalidade da população. Não quer isto dizer que não cometa erros ou que esteja longe de os cometer. Todavia, ao que é trazido à estampa, é uma polícia de investigação criminal que tem tido sucesso nas investigações que leva a cabo e, até prova em contrário, merece a nossa genérica confiança.
Pelo que, se pergunta:
Que comportamento deve ter um agente político, eleito pelo povo com base nos mais elementares pressupostos de honestidade e defesa do interesse público, se, no exercício das suas funções, for constituido arguido por suspeita de indícios fortes da prática de um crime ?
Mais: que atitude deve ele assumir se ele for Presidente de uma autarquia local ?

Deixe a sua opinião...

GOVERNOS CIVIS "OFERECEM SUBSÍDIOS" COM BASE EM CRITÉRIOS SUBJECTIVOS.


Ouvimos por aí dizer que é prática dos Governos Civis - que quanto a mim deveriam ser extintos pois só servem para alimentar pequenas clientelas partidárias - dos de nomeação de esquerda ou de direita, "oferecer subsidios para apoiar instituições. Mas a questão que os contribuintes colocam é com base em que critérios ?
Pois aqui começam os problemas. Não há critérios pré-definidos a não ser confiar na responsabilidade, credibilidade, justiça do Senhor Governador Civil.
Ou seja, confiar que o Governador Civil não é um simples Comissário Político.
Não é, nem tem sido, porém, essa a prática.

Parece, contudo, que este Governo, apesar de manter os Governos Civis mais uns anitos, está determinado em retirar-lhes cada vez mais competências e limitar-lhes a sua discricionaridade, razão pela qual julgamos ainda mais incompreensível mantê-los em funções.
É também aqui que se poderia poupar uns cobres ao Estado, em vez de o fazer fechando maternidades.
Se cada vez os Governos Civis são mais esvaziados de competências, se a sua discricionaridade para dar os famosos subsídios também está limitada cada vez mais, então porque se mantem a sua existência ?

terça-feira, maio 09, 2006

REVISÕES DO PDM SABIDAS ANTECIPADAMENTE PODEM DAR MILHÕES.

Mas mais lucrativo pode ser, ainda, dar capacidade construtiva a terrenos que não a tinham ...

QUEM QUER SER ANGARIADOR DE ARRENDATÁRIOS PARA EDIFÍCIOS VENDIDOS DOS CTT A PRIVADOS ?


Nova visão estratégica para os edifícios dos Correios: serem vendidos a privados. Os privados lucrarem milhões em poucas horas e alguém - COMISSIONISTA - angariar arrendatários a esses privados que adquiriram(em) para cobrarem rendas altíssimas e sustentarem, assim, as valores do investimento das suas aquisições aos CTT.
Quem se sentir com capacidade de operar tais milagres responda a este anúncio e se sentir bem na pele de comissionista, claro!

terça-feira, maio 02, 2006

Abyssus, abyssum invocat.


O Abismo chama outro Abismo.
De facto, Marques Mendes não sabe se será candidato a Primeiro-Ministro ou se está apenas a cumprir o papel que ao longo destes 30 anos de Democracia coube a vários lideres partidários, de todos os quadrantes. Queimar tempo.
Neste quadro, e sem saber o que sucederá em 2008, Carlos Encarnação terá de fazer uso dos seus punhos de renda e do seu habitual jogo de cintura, posicionando-se na próxima lista para o Parlamento Europeu, sem se comprometer nem com Marques Mendes, nem com qualquer um que o possa subsititur entretanto.

NOSSOS DEPUTADOS NO PARLAMENTO. TAKE II.




Discussão sobre o Orçamento de Estado para 2006.

O Sr. Presidente: - Tem a palavra o Sr. Deputado Victor Baptista.
O Sr. Victor Baptista (PS): - Sr. Presidente, para além dos argumentos que já foram invocados, penso que a matéria regulamentada neste artigo 41.º ainda tem uma particularidade: é porque é importante que o cidadão em geral conheça as empresas que são devedoras perante a segurança social até porque, muitas das vezes, os vencimentos dos funcionários de tais empresas são sujeitos a desconto para esse fim mas as contribuições não são entregues à segurança social e, mais tarde, os próprios funcionários, que não tiveram conhecimento disso, são surpreendidos com tal facto.Penso que, nesta questão relativamente à segurança social, o Governo procede bem ao inserir esta norma na lei orçamental. Trata-se de um princípio de transparência e de dar conhecimento, em particular aos funcionários que descontam para a segurança social e não sabem que os seus descontos não são entregues à entidade devida.

Nós concordamos.
Por isso pedimos que esta intervenção sirva de exemplo a todos os empresários, sócios com funções executivas ou sem elas, da Região Centro, da lousã a Miranda, de Cantanhede à Figueira da Foz, do comércio tradicional, às grandes superfícies, do calçado aos texteis, das pedras aos mármores.

OS NOSSOS DEPUTADOS NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. VAMOS ESPREITAR.


Sumário: Diversificação das fontes de financiamento - a nova forma de contribuição das empresas para a segurança social com base no valor acrescentado bruto; Garantir a sustentabilidade financeira do sistema de Segurança Social pública por meio da diversificação das fontes de financiamento e do aumento da eficácia e da eficiência das despesas


" ... é bom não esquecer que o princípio da diversificação das fontes de financiamento está sempre correlacionado com o princípio da adequação selectiva, que, como é sabido, consiste na determinação das fontes de financiamento e na afectação dos recursos financeiros, de acordo com a natureza e os objectivos das modalidades de protecção social. É preciso, então, ser-se prudente e sopesar bem as decisões, sob pena de vermos aqui aplicada a proclamação sálmica abyssus abyssum invocat. Isto é, confrontados com o desequilíbrio orçamental do sistema de segurança social, o pior que poderíamos fazer era lançarmos no abismo as empresas mais competitivas, com mais capacidade exportadora, que mais contribuem para o desenvolvimento da nossa economia e criam os empregos mais disputados e de maior especialização técnica e científica.Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: O PSD está bem ciente das suas responsabilidades e quer deixar claro neste debate que está inteiramente disponível para que, rapidamente, se encontrem soluções que robusteçam o sistema público de segurança social.
Aplausos do PSD.
O Sr. Presidente: - Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado Victor Baptista.
O Sr. Victor Baptista (PS): - Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Ao ouvir as intervenções anteriores, poderíamos ficar com a ideia de que toda a oposição é composta por arautos da defesa do modelo social português e do modelo social europeu.
A Sr.ª Helena Terra (PS): - É verdade!
O Orador: - Se há partido em Portugal que, depois do 25 de Abril, tem tido sempre presente a defesa do modelo social português e, nessa medida, a defesa do sistema de segurança social, é o Partido Socialista.
Aplausos do PS.

What ever it is!

segunda-feira, maio 01, 2006

Jovens desiludidos com a política

Um estudo divulgado este domingo sobre «O Associativismo Juvenil e a Cidadania Política» revela que os jovens estão descontentes com a política e com o modo como a democracia funciona na sociedade portuguesa.
As conclusões do estudo elaborado pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa a pedido da Secretaria de Estado da Juventude, foi apresentado no âmbito das comemorações do Dia Nacional do Associativismo Juvenil, presididas pelo secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias.
Segundo o documento da autoria de Pedro Ferreira e Pedro Silva, a análise realizada sobre atitudes face à democracia e à participação política e social dos jovens, «sublinha a presença de convicções democráticas bastante generalizadas na população, a par de um sentimento maioritário de descontentamento relativamente ao modo como a democracia funciona na sociedade portuguesa», revela a Lusa.
«A este descontentamento estará provavelmente associado não apenas a incapacidade da sociedade, que se acentuou com a desaceleração económica dos últimos anos, em sustentar e satisfazer as expectativas sociais e económicas dos sectores juvenis, mas também uma certa degradação das instituições democráticas que têm revelado alguma dificuldade em darem de si mesmas uma imagem mais transparente e credível», afirmam os autores.
Este trabalho resultou de entrevistas realizadas a mil jovens com idade s entre os 15 e os 29 anos.

aqui