quinta-feira, fevereiro 02, 2006

QUE GRANDES TRAPALHADAS PARA POLÍTICOS VEREADORES NO ACTIVO SE ENVOLVEREM!

Universidade de Vasco da Gama sob influência da Internacional
R.A .


O empresário espanhol Javier De Vigo e o advogado Américo Baptista, cuja Sociedade Internacional de Promoção de Ensino e Cultura (SIPEC) é proprietária do alvará da Universidade Internacional, ascenderam recentemente à Direcção da entidade detentora do alvará da Escola Universitária de Vasco da Gama.
A Escola Universitária de Vasco da Gama (Coimbra) está a procurar tirar partido da experiência da Universidade Internacional (UI), possuidora de um pólo na Figueira da Foz, cabendo aos empresários Américo Baptista e Javier De Vigo garantir a afinidade entre as duas instituições. Os dois empresários são accionistas de referência da Sociedade Internacional de Promoção de Ensino e Cultura (SIPEC), proprietária da UI e do Instituto Superior Politécnico Internacional, e membros da Associação Cognitária de São Jorge de Milreu (ACSJM), detentora do alvará da Escola Universitária de Vasco da Gama (EUVG).
Ingresso de Javier De Vigo

Criada por Norberto Canha, antigo presidente do Conselho de Administração dos HUC e ex-director da Associação Recreativa de Coimbra Artística (ARCA), a Associação Cognitária passou a contar, há pouco tempo, com novos membros da confiança de Américo Baptista ( ... ) Os autarcas do PS/Coimbra Luís Vilar, Abílio Vassalo Abreu e Victor Baptista (deputado, vereador e antigo governador civil) ( ... ) .

Segundo fontes ligadas ao processo, António Calvete, Carlos Barros da Silva, Francisco Brás de Oliveira, João Rodrigues, Luís Lourenço, Mário Pereira e Vasco Cunha – todos eles membros da Sociedade Mosteiro de São Jorge, Construções, Lda. (proprietária do terreno onde funciona a EUVG) – deixaram de pertencer à instituição sem fins lucrativos. Américo Baptista, Norberto Canha e Victor Baptista continuam a ser membros da Associação Cognitária e da Sociedade Mosteiro de São Jorge, enquanto Fernando Crespo permanece na primeira entidade e vendeu a respectiva posição na segunda.
A recente saída e entrada de membros da ACSJM coincidiu com a promessa de venda de uma área de 37,6 hectares à Tramcrone (do Grupo TCN), cuja posição contratual acaba de ser cedida à Ebony Concepts Limited (empresa inglesa sediada em Bristol).

Expansão enquadrada por projecto imobiliário

Na primeira reunião da Câmara de Coimbra efectuada em 2006, a Ebony foi autorizada a elaborar um plano de pormenor da quinta de São Jorge de Milreu destinado a avaliar se é possível dedicar 20.000 metros quadrados de terreno a habitação.
A proposta é associada ao propósito de “enquadrar o processo de desenvolvimento e expansão” da Escola Universitária de Vasco da Gama . Segundo apurou o “Campeão”, a Sociedade Mosteiro de São Jorge, Construções, Lda., de que o empresário António Calvete é sócio maioritário, prometeu vender, por cinco milhões de euros, à empresa Tramcrone (do Grupo TCN), um prédio misto com 376.400 metros quadrados.
A Associação Cognitária interveio como segunda outorgante num protocolo e contrato-promessa de compra e venda, subscrito pelas outras duas entidades, para declinar interesse pelo direito de preferência. Uma das cláusulas do acordo prevê que a terceira outorgante, Tramcrone (ou quem ela indicar), partilhe com a entidade arrendatária eventuais benefícios inerentes à capacidade de carga construtiva da quinta de São Jorge de Milreu.

Fonte ligada ao processo disse ao “Campeão” que haverá um acordo no sentido de a ACSJM se tornar proprietária das instalações da EUVG no horizonte de 20 anos.
Notificada pela TCN a respeito da cedência da respectiva posição contratual, a Associação Cognitária, através de Javier De Vigo e Américo Baptista, comunicou à Ebony ser necessário “providenciar novas áreas de construção destinadas ao desenvolvimento da EUVG”.
A Associação Cognitária acentua que sem tais áreas de construção o referido projecto de desenvolvimento fica comprometido.
Em carta datada de 12 de Dezembro de 2005, enviada ao vereador João Rebelo, a Ebony diz que a ACSJM “pretende retomar o plano de investimentos (...), sob pena de condenar a Escola Universitária de Vasco da Gama ao declínio e eventualmente ao seu fim”.
A empresa de Bristol (Inglaterra) alega que “a viabilidade económica de um processo desta natureza só será possível mediante a realização de algum investimento que permita retorno financeiro, designadamente no sector imobiliário, possibilidade que levou à consideração da criação de uma zona residencial (...)”.
A carta remetida à Câmara, pela Ebony, alude à pretensão de construção de 10.000 metros quadrados para residências universitárias, outros tantos para expansão da EUVG e 20.000 para uma clínica de serviços continuados com assistência médica.
Por presumível ligação profissional à TCN na qualidade de economista, o vereador Marcelo Nuno (PSD) invocou “eventual conflito de interesses” e declinou tomar parte na discussão e votação. Victor Baptista também se ausentou, por ser sócio da Sociedade Mosteiro de São Jorge, e Luís Vilar alegou não ter os motivos que levaram os dois edis a deixarem de intervir ( como ? ) .
Gouveia Monteiro (CDU) e Álvaro Seco (PS) votaram contra a decisão camarária, embora Carlos Encarnação tenha feito notar que o conteúdo do plano de pormenor terá de ser sujeito a deliberação da autarquia.

Ver em http://www.campeaoprovincias.com/edicao.asp?idedicao=217

NOTA: Soubemos, entretanto, que foi integralmente aprovada na sessão de Câmara um parecer técnico que impõe tais condições aos promotores que o(s) negócio(s) não será apetecível.

5 comentários:

Anónimo disse...

incrível como os ratos se calam perante este escandalo! Como é que não há comentários. É que os tipos que s passeiam pelos blogies são do marcelo nuno ou do vilar ou do batista

Anónimo disse...

SE ASSIM FOR LÁ SE VÃO OS MILHÕES DA TCN E OS MILHARES DE COMISSÃO PARA OS INTERVENIENTES NA NEGOCIATA!
VALHEM-NOS OS TÉCNICOS, SE CONTASSEMOS SÓ COM POLÍTICOS ...

Anónimo disse...

Diga-se que esta notícia já tinha saído...até no mesmo jornal...mudou o titulo e acrecentaram uns pormenores. Mas ainda bem que se denunciam estas coisas,mesmo que só o façam por causa de outros interesses...mas isso é conversa para outros carnavais
CORDIALMENTE
Do amigo Zé das Mantas, admirador cofesso do sr vive -presidente e comerciante da baixa e adepto da cobertura

Spin Doc disse...

O projecto vai ter pernas para andar, não se esqueçam que o bloco central de interessses faz autênticos milagres.

Anónimo disse...

TB SOU ADMIRADOR DO VICE DA CÂMARA É QUE ESSE É O CAMINHO MAIS RÁPIDO PARA VOS TIRAR DA CMC E VOLTAR A VER A CIDADE MENOS ENLAMIADA COM MERDA.
NÃO SOU ADMIRADOR DA COBERTURA DA BAIXA.
QTO À DIVULGAÇÃO DESTES ESCANDALOS EM NOME DE OUTROS INTERESSES, DEIXE-ME DIZER-LHE QUE O MEU UNICO INTERESSE É O INTERESSE PÚBLICO