terça-feira, novembro 15, 2005

CARLOS CIDADE DESISTE DE CANDIDATURA À CONCELHIA

O ex-chefe de gabinete de Manuel Machado desiste de
candidatura à concelhia do PS-Coimbra
Motivos: falta de apoios.
Fontes próximas a Carlos Cidade confirmaram a desistência do ex-chefe de gabinete de Manuel Machado à liderança do PS-Coimbra por ter constatado ausência de apoio que pudesse justificar a sua candidatura, pelo menos com um resultado minimamente decente.
Segundo as mesmas fontes, Carlos Cidade teria dificuldade em colher votos que na anterior eleição foram para Mário Ruivo, pois Mário Ruivo também se perfila para uma recandidatura à comissão política concelhia e não colheria quaisquer votos da dita "ala" de João Silva, por um lado porque se desconhece se o ex-vereado de Manuel Machado também é recandidato, e por outro lado, porque poucos dos que votaram em João Silva votariam em Carlos Cidade, já que Cidade se tem colocado muito perto de Victor Baptista.
Na anterior eleição concorreu um desconhecido da secção do botão que ficou à frente de João Silva e muito perto de Mário Ruivo. A questão que se coloca agora é a de saber quem apoiarão estes socialistas. É que pelo desgaste de Luis Vilar, a candidatura mais próxima do ainda Presidente do PS-Coimbra é a de Mário Ruivo, sendo este afectado por isso. Se juntarmos os votos do botão com os de João Silva e lhes somarmos os descontentes, poderemos ter uma boa votação. A questão é saber se João Silva é candidato.
E se não for?
Estamos em crer que, ou aparece um candidato renovador capaz de capitalizar esses votos, ou eles perder-se-ão pois pelo sua natureza não votarão nem em Mário Ruivo, nem em Carlos Cidade.

9 comentários:

Anónimo disse...

João Silva seria uma excelente aposta mas demonstrou que não tinha perfil para as lutas.

o que é feito do Miguel Oliveira?

não foi discipulo do João Silva? já demonstrou ter a mesma escola e seria uma boa oportunidade, ainda por cima não depende da política.

Volt@ire disse...

Em meu entender, a solução para o problema da Concelhia do PS poderia passar por apresentar um candidato jovem, sem a “síndroma aparelhista”. O PS Coimbra padece de dois grandes males; o primeiro é o facto de constantemente se esgotar em sucessivos processos eleitorais, tanto internamente como exteriormente. Ficando limitado a organizações eleitoralistas, e esquecendo-se do fundamental, que só por si as eleições não representam um fim, mas sim um meio, um meio para chegar junto da população e que para dessa forma tentar melhorar a qualidade de vida dos cidadãos do nosso concelho. O segundo é obviamente a incapacidade, quase irracional, de refrescar a estrutura, aproveitando a bons quadros da JS, ao invés de continuar a apostar em elementos notoriamente desgastados, e muitas vezes com provas dadas da sua ineficácia e ineficiência.
Parece portanto que nada disto aparenta veracidade, se não fosse ela a realidade socialista conimbricence, quando o que parece mais importante é a claudicação amorfa de alguns iluminados, em detrimento da clarividência objectiva de outros, visto que correm lestos os iconoclastas dos novos camartelos.

Volt@ire disse...

Em meu entender, a solução para o problema da Concelhia do PS poderia passar por apresentar um candidato jovem, sem a “síndroma aparelhista”. O PS Coimbra padece de dois grandes males; o primeiro é o facto de constantemente se esgotar em sucessivos processos eleitorais, tanto internamente como exteriormente. Ficando limitado a organizações eleitoralistas, e esquecendo-se do fundamental, que só por si as eleições não representam um fim, mas sim um meio, um meio para chegar junto da população e que para dessa forma tentar melhorar a qualidade de vida dos cidadãos do nosso concelho. O segundo é obviamente a incapacidade, quase irracional, de refrescar a estrutura, aproveitando a bons quadros da JS, ao invés de continuar a apostar em elementos notoriamente desgastados, e muitas vezes com provas dadas da sua ineficácia e ineficiência.
Parece portanto que nada disto aparenta veracidade, se não fosse ela a realidade socialista conimbricence, quando o que parece mais importante é a claudicação amorfa de alguns iluminados, em detrimento da clarividência objectiva de outros, visto que correm lestos os iconoclastas dos novos camartelos.

Anónimo disse...

Rodrigo Maia - candidato apoiado por Luís Vilar.

Volt@ire disse...

Muito bem. A JS Coimbra soma e segue. Mas uma breve interrogação. A JS não estará a sobre valorizar-se? Não estará a esquecer a sua verdadeira essência? Não estará a embacar numa errante viagem pelo vazio político, esquecendo obras mais terrenas, mas nem tanto desprestigiantes? Estas interrogação fazem sentido, na medida em que Jotas querem crescer, esquecendo o seu lugar, e querem subir para a zona de promoção. O PS não quer renovação, pelo menos para já... Como ficou patente nas autárquicas.

Anónimo disse...

rodrigo maia? dasse...um gajo sem qualquer discurso nem trabalho capaz de provar o que vale. ser professor de robos não é sinónimo de ter jeito para a política pá.
Para mim Castanheira ou João Silva são os melhores nomes

Anónimo disse...

Vítor Leonardo a presidente da Concelhia já!

Anónimo disse...

Só o facto de terem pensado em Carlos Cidade é sinónimo da fraqueza a que chegou o PS em Coimbra. Ainda vão arranjar um independente para presidente da Concelhia.

Bertol disse...

VÁ là enchergou-se a tempo....Os socialistas devem urgentemente apresentar novas lideranças e acabar com a época dos "amadores"