terça-feira, janeiro 08, 2008

MÁRIO RUIVO ESCREVE SOBRE A POLÍTICA, OS PARTIDOS E O PS.

"... A política é a ciência que governa os povos. Torna-se necessário assumir a capacidade de a fazer regressar à sua nobre condição de servir. Perseguir esse objectivo é um imperativo. Importa torná-la perceptível a todos os cidadãos, apelando à sua consciência cívica. Paralelamente, torna-se imperioso que os membros dos partidos políticos se assumam como activistas de causas e não como representantes de interesses..."
MÁRIO RUIVO

comentário politicae

Achamos interessante como é possível escrever e defender posturas, comportamentos e atitudes quando a nossa prática demonstra o contrário.
Mário Ruivo, por muito respeito que nos mereça, tem um passado que demonstra o contrário do que agora escreve.
Extraimos uma pequena parte dos seus escritos publicados na imprensa local por acharmos tratar-se de pequenos excertos deliciosos que só nos fazem sorrir.

" TORNA-SE NECESSÁRIO ASSUMIR A CAPACIDADE DE FAZER REGRESSAR À SUA NOBRE CONDIÇÃO DE SERVIR". Bom, antes disso torna-se necessário que quem se dedida à política, a tal ciência de governar os povos, tenha já produzido e contribuido com o seu trabalho para o desenvolvimento da comunidade, da polis, pois só nesse momento estará em condições de desenvolver a tal ciência de governar os povos, com ganhos para o povo governado. Antes disso o político que não tem profissão e que não contribuiu ainda com a força do seu trabalho para a comunidade onde vive só está em condições de se servir através da política e nunca servir o povo.
Quanto à tal nobre condição de servir de que fala Ruivo: ela esteve seguramente presente na actividade de Mário Ruivo, principalmente quando nunca se opos à gestão de Baptista nem à forma como conduzia até hoje os destinos do PS em Coimbra (mesmo sabendo que o fim da linha era o enorme abismo de que hoje Ruivo fala).

"TORNA-SE IMPERIOSO QUE OS MEMBROS DOS PARTIDOS POLÍTICOS SE ASSUMAM COMO ACTIVISTAS DE CAUSAS"

Parece-nos que Ruivo só pode estar a brincar com o leitor! Activista de causas? Não podemos estar mais de acordo, mas esse não é um histórico de que se possa orgulhar.
Essa forma de estar não esteve presente quando Ruivo decidiu, tacticamente, não afrontar Victor Baptista colocando a nú a forma prejudicial como conduzia esse partido da rosa e indirectamente a vida dos seus concidadão de Coimbra. Essa nobre condição de servir também nunca esteve presente na vida de Ruivo quando aceitou a candidatura de Baptista à Câmara, não fazendo ouvir nos órgãos próprios do seu partido a sua contestação, apesar de nessa altura ser oposição na no PS de Coimbra contra Luis Vilar.

6 comentários:

o alentejano disse...

Se eu me chamasse Luis Marinho assumia ter escrito isso.

Se eu me chamasse Luis Marinho tinha durante, pelo menos, os dois ultimos anos, feito alguma coisita, por muito pequena que fosse, para mudar o estado das coisas do PS de Coimbra.

da ultima vez votei Marinho.
da próxima votarei noutro qualquer nem que seja no Vilar, que será sempre melhor presidente da Federação que o Batista.

Anónimo disse...

porque será que os principais comentadores deste sitio passaram os ultimos 2 anos a criticar vilar e batista e o ps etc etc...
depois pararam.... etc etc...
mas eis que agora o sr. todo mau chama-se Mário Ruivo... porque será?

Politicae disse...

Ao comentador anterior:

As nossas criticas resultam de análises de contextos, factos e situações políticas.
Mantemos a opinião que temos sobre Luisd Vilar e Victor Baptista, Carlos Encarnação e Pina Prata.
Sucede que Mário Ruivo quis por vontade própria ser figura pública e como tal está sujeito às mesmissimas análises que quaisquer outros participantes no tabuleiro político.
Lamentamos ser esta a opinião que temos dele. Se calhar porque o conhecemos bem! Pense nisso.

El Ray disse...

OK já percebemos, vocês são assumidamente tendenciosos.
Acham que dessa maneira ganham credibilidade?!
... A gente vem cá na mesma, qto mais não seja para ver até conseguem ir...

Por favor...

Anónimo disse...

Se o tal "alentejano" votou no Marinho, mas ficou insatisfeito por ele não ter feito nada contra o estado de coisas no PS em Coimbra, deve ter sido um resistente clandestino, porque não se conhecem acções públicas relevantes nesse sentido dentro da Federação de Coimbra do PS.

Ou achar-se-á dispensado de exigir dele próprio o que exige aos outros ?

Ou será que esse "alentejano" afinal nem votou no LM, fingindo-o agora apenas para ficcionar a perda de um apoiante por parte do campo contra o qual sempre foi ?

De certo modo, aliás, ele até se traiu: os líderes, entre quem parece hesitar, são o V. Baptista e o L.Vilar.

Anónimo disse...

Este blog já não é - é óbvio! - o mesmo. Agora arrasta-se, moribundo, tal como certos candidatos a candidatos a qualquer coisita, a ver se alguém repara nele e lhe dá importância. Perdeu o brilho. Passou a validade. Ainda por cima, sem pudor, a tentar dar visibilidade a uma certa suposta candidatura que é tão deprimente e gasta como o próprio blog... Ò meus amigos, para depressão já basta o que basta, não é necessário virem pregar mais pregos.