quarta-feira, maio 16, 2007

FERNANDO NEGRÃO CANDIDATO À CÂMARA DE LISBOA PELO PSD



Parece-nos que, apesar de em abstracto o considerarmos bom candidato, consideramos que o PSD percebeu ser muito difícil vencer Lisboa.

7 comentários:

Ricardo disse...

O melhor que temos a fazer é não menosprezar o adversário, porque o Dr.Fernando Negrão não sendo uma pessoa com grande peso político, é considerado por alguns sectores da sociedade como uma pessoa competente e séria. Não esquecendo, que com as cartas que estão em cima da mesa o P.S. tem muito mais a perder do que o PPD/PSD, mesmo no caso de vitória de António Costa (se esta for escassa).

Anónimo disse...

a perder estamos todos e há muito.

já repararam que depois de todos terem a pensaozita do estado desataram todos a defender a privatização.

rui roque disse...

Caro Ricardo por isso mesmo se mede assim a estirpe de um político. Um grande político não somatiza as coisas ao ponto de alguns que bem conhecemos no sentido de dizer que vai mas como os riscos são muitos não vai.
Mendes devia ser o candidato. Portas devioa ser o candidato e não foram.
Costa é o que mais tem a perder e por isso é digno do meu crédito e respeito porque ainda é daqueles políticos que corre os riscos sobretudo qdo eles são elevados. Por isso é um Grande Político.

Ricardo disse...

Caro Rui Roque, não tenho qualquer dúvida quanto à qualidade e coragem política de António Costa,penso mesmo tratar-se de um dos políticos mais brilhantes da sua geração, e não há muitos.E nisso concordo consigo,pelo menos vai à luta, não fazendo como alguns «notáveis» do P.S. que nunca vão à luta, sendo eternos D. «Sebastiões». Penso é que o país fica a perder, mas sem dúvida que Lisboa ficará a ganhar.Só posso desejar boa sorte a António Costa, que será a dos lisboetas.

Anónimo disse...

perder mas qual politico é que já perdeu alguma coisa???
esta gente anda cega há muito tempo.

Anónimo disse...

O FUTURO DE LISBOA É... NEGRÃO !

Anónimo disse...

Negrão? Violação do segredo de justiça? Homem com percurso político e ético respeitável?