terça-feira, janeiro 23, 2007

O CORREIO DA MANHÃ RELATA A HISTÓRIA....


Ricardo Sá Fernandes, advogado, trabalha num escritório frequentado por Domingos Névoa, que ao CM refutou todas as acusações. “Isto é uma tristeza. Nunca corrompi ninguém. O assunto já está entregue à minha advogada, Rita Matias, com quem trabalho há 15 anos e que trabalha no escritório do Ricardo Sá Fernandes. Vou lá há 15 anos.”Terá sido este o motivo que levou Névoa a contactar Ricardo em vez do irmão José.
Ricardo foi contactado por telefone tendo-se seguido três encontros onde ficaram acordadas duas entregas de dinheiro, uma antes de o vereador corrigir a sua posição e outra depois. Todos os encontros e contactos foram registados em audio e vídeo pela Judiciária.
Quem já ouviu disse ao CM tratar-se de “um verdadeiro manual de como corromper alguém”. Mais, segundo José Sá Fernandes revela ainda “por parte de Domingos Névoa um despudor e um grande ar de hábito”.

O Diário de Notícias revelou na edição de sábado que Domingos Névoa se reuniu pessoalmente com o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carmona Rodrigues, poucos dias após a primeira notícia sobre a alegada tentativa de corrupção da Bragaparques ao vereador José Sá Fernandes, em 18 de Fevereiro de 2006.
Segundo o jornal, o encontro foi detectado através do cruzamento de escutas telefónicas e de vigilâncias directas.
A BragaParques, que integra o grupo Rodrigues & Névoa, fortemente ligado à construção civil e que nos últimos anos tem diversificado as suas áreas de intervenção, tem expandido os negócios em quase todo o território nacional: Bragança, Braga, Porto, Coimbra, Tomar, Almada, Lisboa e Algarve. Domingos Névoa e Manuel Rodrigues – de famílias originárias do Gerês – são os fundadores do grupo.

Com baixas habilitações literárias, são exemplos de ‘self-made man’.

14 comentários:

Anónimo disse...

Há dias, no Trianon, alguém dizia que o negócio não seria construir clinicas privadas mas sim prisões privadas com alta qualidade, com room service incluido, argumentando que, um dia destes, elas iriam ser necessárias para alojar alguns amigos.

Anónimo disse...

pois é! mas quem for lá para dentro não deve ter direito a room service. deve ficar mesmo é numa prisão onde lavem escadas, passem a ferro, dêem serventia a pedreiro e façam de carpinteiros para ver como custa a vida. Isto porque tratando-se gerericamente de iletrados não poderão contribuir para a comunidade de outro modo. Se tiverem instrução superior devem ser obrigados a ensinar a ler e a escrever os restantes reclusos, devem fazer projectos de obras para o Estado de borla se forem arquitectos ou engenheiros, devem defender oficiosamente de borla se forem advogados, devem dar consultas a reclusos e à população pobre se forem médicos.... e os restantes é a mesma lógica

Anónimo disse...

Esse Domingos Névoa não é o gajo amigo do Vilar que andou a pedir reuniões, jantares e almoços por Coimbra ???

Anónimo disse...

não procures esconder nada; o tempo vê , escuta e revela tudo.


SÒFOCLES ( 491 a.C.-406 a. C.)

Braz Tizana disse...

Ora, Ora então o parque de estacinamento do antigo "Bota Abaixo" pertence a quem? Ora puxem lá pela cabeça ! Será que foi só em Lisboa? Será? Ai.. qui será..será! Ora iletrados nas letras, mas fulgurantes a matemática. Quem dá e tira e não fica...(completam com o que vos vier á cabeça!)

Anónimo disse...

Alguém falou numa Mercedes?

Anónimo disse...

Alguém falou numa Mercedes?

Anónimo disse...

quê uma vito preta? rsrsrs

Anónimo disse...

sera a mercedes que se passeia na baixa?

Anónimo disse...

A censura do JMC, do AB etc. continua

Anónimo disse...

Parece que é conduzida por um funcionário de um qualquer sindicato.

Anónimo disse...

Parece que é conduzida por um funcionário de um qualquer sindicato.

Anónimo disse...

NÃO É FUNCIONÁRIO DO SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CENTRO?E NÃO FOI JÁ SEGURANÇA NA SEDE DO PS DE COIMBRA?

Anónimo disse...

Segurança só conheci o Antão. Não seria o Carlos da secretaria?