terça-feira, janeiro 16, 2007

GRUPO ALARGADO DE CIDADÃOS PONDERA CANDIDATURA À CÂMARA DE COIMBRA E FIGUEIRA DA FOZ.


Aqui e ali, nos cafés, restaurantes, em reuniões mais ou menos circunscritas, cidadãos reunem, no quadro de um grupo de amigos, nuns casos, noutros casos num quadro de militantes partidários que deixaram de ter esperança no partido do qual fazem parte em relação à escolha dos candidatos e respectiva lista para o órgão executivo das princiais Câmaras do distrito.
Tivémos este furo, nada de concreto. Ainda. Mas há uma intenção firme de em relação a algumas Câmaras, Coimbra e Figueira da Foz, serem lançadas candidaturas de cidadãos reconhecidos, que podem ser militantes partidários ou não, mas que terão apoios da sociedade civil dita forte, onde se incluem também militantes partidários dos principais partidos ditos de poder.

O que nos disseram é que o Bloco de Esquerda não se importaria de prescindir da sua candidatura, e nesta embarcação estão algumas figuras do Movimento de Cidadania que nasceu na última candidatura Presidencial de Manuel Alegre. O certo é que nenhum deles quer que as candidaturas sejam lançadas sob a égide de nenhum grupo, mas que seja uma coisa espontânea, uma espécie de grito do cidadão. A prova de que o cidadão durante os anos dos mandatos autárquicos parece que não reage, parece cego, surdo e mudo.
Mas o facto é que não está nem cego, nem surdo e nem mudo.

19 comentários:

Anónimo disse...

Avancem! Nada como os treinadores de bancada sujeitarem-se ao jogo democrático para perceberem a dureza de algumas realidades...

Anónimo disse...

A "dureza" dessa realidade eu não quero conhecer e sabe pq? Porque tenho emprego conquistado apenas por mim e não por cunhas partidárias e por isso tenho uma liberdade de espírito que alguns politicos não têm.
A "dureza" dessa realidade eu nunca conhecerei. Sabe que para um cidadão independente como eu não precisa fazer das eleições o jogo da sua vida. Apenas precisa com tranquilidade de mostrar aos cidadãos as opções politicas de cidadãos que venceram na vida e já deram provas na sociedade da sua capacidade e por isso são respeitados e crediveis. Os cidadãos não precisam de andar em porcos assados e romarias. Aliás, a campanha Presidencial de MANUEL ALEGRE parece não ter ensinado nada a lguns senhores politicos dos aparelhos partidários.

Paulocas disse...

Força. vamos a isso. O País está farto, tal como o provou a candidatura de Algre, de "bardamerdas", perdoem-me o termo, que são sistematicamente rejeitados pela sociedade, mas pq filiaram muita gente, continuam a mandar, pensando que são gente.

Anónimo disse...

De facto é importante que uma candidatura independente avançe, até para calar tanta arrogancia,é que a dureza para alguns é pelo motivo de não terem outra actividade.
Cá por mim estou de acordo e VOTO nessa.
È preciso dizer basta.

Anónimo disse...

Apesar de militar num partido acho que sim, pois já cheguei a conclusão que a nivel autarquico não é tão relevante o voto partidario, mas outros aspectos sobretudo éticos e de respeito pelos valores de Todos os cidadaõs.
Dai entender já há muito que a filiação partidaria deverá ser mais entendida em termos nacionais.

Politicae disse...

O POLITICAEHOUSE avisa o anónimo postador das 12:44 AM que não assuma uma identidade que não é a sua e não utilize o nome "paulocas" pois ele pode introduzir confusão. Não precisa de fazer isso para passar as suas opiniões e ideias, mesmo que as queira dar sob a capa do anonimato.

Nuno Moita disse...

era bom para democracia haver movimentos civicos com capacidade para concorrem às câmaras, o problema é que isso só é possivel com vário tipo de cedências e é logo aí que este tipo de iniciativa se descaracteriza, na medida que muitop fácil ser contrapoder muito mais difícil ser poder, e mesmo o contrapoder cansa vide o caso do Bloco de Esquerda, já perdeu a capacidade de transmitir uma imagem de regeneração do sitema.Em todo caso vamos ver e se for para tirar os que estão na figueira e em coimbra melhor...

Camisa Azul disse...

São os mesmos com outras “roupas”, como já não conseguem enganar o povo nos partidos do sistema agora aparecem como independentes.

Anónimo disse...

Um conselho:

Não vão conseguir mudar a política - muito menos a política em coimbra ! - através de um blogue com estas características.

Não é por lançarem umas ideias e juntarem aos comentários que naturalmente também recebem, comentários vossos para dar uma aparência de que se está gerar um grande movimento de anuência às vossas ideias que resolverão alguma coisa.

Mas a minha opinião vale o que vale. Acho apenas que a vossa estratégia, a este nível, é demasiado óbvia e por isso acaba por cair no ridículo. Desculpem a sinceridade.

Outro conselho:

Não hostilizem sem critério. Perderão potenciais aliados no futuro.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Como leitor regular deste espaço de opinião, registo com agrado a atitude dos administradores deste blogue ao não permitirem a usurpação de identidades por parte de quem quer comentar os assuntos que aqui são debatidos.É um gesto que só vos credibiliza.

Anónimo disse...

concordo com a indignação do vosso blogue perante esse facto... sendo militantes partidários como podem não respeitar as decisões dos seus órgãos legítimos? Não há mesmo ninguém que perceba essa malta do MIC...

Politicae disse...

Caro Amigo conselheiro das 3:01 PM.
Não é nossa intenção mudar a política em Coimbra, pois deixámos de acreditar niosso há uns bons pares de anos.
Também não é nossa intenção dar a ideia que se está a gerar um grande movimento de anuência às nossas ideias. Não temos a pretenção de sermos filósofos e de pela força das nossas ideias conseguirmos arrastar como na antiga Grécia a polis connosco.
Aliás, não nos conhecem. Não sabem quais as nossas ideias. Por este blogue não é possível aferir isso, mesmo porque essa nunca foi a nossa intenção.
Já lá vai o tempo em que a força das ideias conseguia pelo menos mover um pouco do mundo. Não. Agora é a força do dinheiro e a força do poder. O paradigma, caro Conselheiro, mudou há muito. E nós não temos ilusões.
O que dizemos é que o poder e o dinheiro mudam com a velocidade da corrente das cheias, mesmo em Coimbra, onde pelos vistos quase não tem havido corrente. Mas não estamos livres de um dia haver uma grande enchurrada!
Bem haja pela sua participação.

Anónimo disse...

..nada é eterno.

Anónimo disse...

Demagogia, feita à maneira...
Título de canção com mais de 20 anos.

Anónimo disse...

O que se diz neste post sobre o Bloco de Esquerda é absolutamente falso.

Catarina Martins
Deputada municipal do Bloco de Esquerda

Politicae disse...

Cara Catarina:

Reafirmamos a notícia. Alguns militantes do Bloco de Esquerda, destacados, diriamos mesmo, admitem abdicar de um candidatura do Bloco se a iniciativa da sociedade civil for sólida, forte e for perceptível não se tratar de jogos de militantes partidários minoritários nos seus partidos. Ou seja, desde que seja claro tratar-se de um movimento da sociedade civil, de facto. A notícia diz " ...o que nos disseram..." e mantemos. Confissões no bar da faculdade de economia.

Anónimo disse...

vide artigo de Carvalho Homem no DC de 12/01/2007

" A luta politica em Coimbra é uma coisa virtual e praticamente inexistente"

Anónimo disse...

QUEM SÃO OS CROMOS DA FOTO?

Anónimo disse...

O que está de pé parece-me o Isaltino Morais.
Deve ser o candidato independente que procuram.