quinta-feira, janeiro 18, 2007

Director-Geral das Contribuições e Impostos


A propósito da polémica gerada pela já esquecida nomeação do Sr Director-Geral das Contribuições e Impostos e pela recente questão do serviço religioso, gostaria de saber qual a atitude do Dr. Carlos Esperança, ilustre "blogger" do Ponte Europa, a partir de agora em relação a este governo.

Não será esta uma questão essencial do Estado de Direito Democrático?

Espero, como jacobino, uma atitude merecedora do meu respeito, tanto mais que não pertenço à República e Laicidade.

Gostava de ver neste caso coerência.

8 comentários:

OLDLAU disse...

Por vezes admiro-me que as pessoas se esqueçam que vivem num pais e numa Europa capitalista, e isso como dizem os livros....os das escola ...impoem-nos a Lei da Oferta e da Procura...por ai é facil perceber este problema.........

Anónimo disse...

Deixem-se de invejas. O Homem temr esultados e provas dadas, por isso merece o que ganha. Os 25000 euros /mês que ele ganha valem mais ao Estado que os 4500 euros de qq outro director geral

Anónimo disse...

Deixem-se de invejas. O Homem temr esultados e provas dadas, por isso merece o que ganha. Os 25000 euros /mês que ele ganha valem mais ao Estado que os 4500 euros de qq outro director geral

Anónimo disse...

Só espero é que o serviço religioso não tenha sido pago pelo erário público

Anónimo disse...

se meterem lá outra a ganhar os 4500 euros/mês d eum normal Director-Geral e a cobrança de impostos decerscer quero ver o que dirão os defesores do serviço público!

competência disse...

querem copetência? paguem. querem tachada...metam lá um cromo a ganhar menos garantidamente que o balanço do resultado final prejudica o Estado. Não sejam invejosos. O homem tem provas dadas, logo merece o que recebe e ponto final parágrafo

Anónimo disse...

Competênçia??????????

Sabem qual é a taxa de erros informáticos nas cobranças?

30%!!!

Esperem até começarem a fazer-vos cobrança coerciva dos vossos rendimentos porque aparentemente para a DGCI são casados com um empresário do outro lado do país que abriu falênçia... E depois andem três anos com o problema recorrente todos os anos.

Quem fala de inveja anda de BARRIGA CHEIA!!!

Se dessem a cara rasgava-vos as TRIPAS!!!! MENTIROSOS!!!!

Politicae disse...

Ao anónimo anterior:

Confessamos com espanto e admiração não termos, de todo, alcançado uma vírgula do que escreveu.
De todo o modo o que o administrador jacobino quis foi lançar a discussão num tema público que faz parte da actual agenda política. Cada um diz o que entender sobre o assunto, legitimamente.
O meu amigo não concorda, pois bem, opine nesse sentido sem ofender ninguém. Os meus amigos concordam, assumam isso usando argumentos legíticos e que por serem opiniões terão de ser respeitadas.
Por fim, permito-me apenas sublinhar que o único facto incontestado por todos, PSD, CDS, BE, PS e CDU incluídos é que este senhor aumentou muitíssimo a taxa de cobrança coeciva sendo o responsável pela entrada nos cofres do Estado de cerca de mais 20% das dívidas fiscais.