sexta-feira, novembro 10, 2006

ANTÓNIO JOSÉ SEGURO EM QUEDA.


http://www.publico.clix.pt/ O PÚBLICO de hoje retrata as figuras do Guterrisco que estão em queda, em trânsito e em ascensão.

14 comentários:

Anónimo disse...

Quem nao se lembra dos finais de Apolinario e principios de AJS, a rebeldia controlada, o aparatchik que inventava gabinetes de estudos, a sparkling knife que encostava o homem do bigode à parede exigindo espaço.
As noites de campanha para a Académica, na vertigem vitoriosa e nos momentos menos felizes do abrangente Projecto C (Diniz Alves, Parreirao, Benjamim Lousada, Ricardo Roque, Paulo Alves, José Manuel Viegas,Paulo Martins bem hajam).
Permanece em muitos, bem viva, a sua amizade e solidariedade, o incentivo e o conforto com que sempre brindou a federaçao socialista de Coimbra.
Antonio José é, como o nome apropriadamente indica, um valor Seguro dos socialistas.
Tozé para os amigos sofre hoje as consequencias do seu empenho total, do hoje incomprensivel (mas na altura perfeitamente à la page) relegar da sua formaçao para mais tarde, tendo pardido algum terreno na merecida admiraçao, respeitabilidade e solidariedade com que muitos dos que ajudou lhe faltaram.
O PS agora em congresso tem de reconhecer possuir um lider de imensa qualidade, com uma equipa fresca e corajosa, tecnicamente muito bem apetrechada e que sabe o que quer e para onde vai; Mas nao pode esquecer o valor de um dos mais brilhantes quadros que o Salitre pariu e de que o Rato muito beneficiou.
Hoje alguns dos influentes da imprensa que, da Casa da Praça ao Atenas, o conheceram nos idos de oitenta, (parecendo mais rendidos ao parecer que na altura desdenhavam em relaçao ao ser)elaboram rankings e fazem eles proprios listas de espera nesta democracia cada vez mais saudavel, relevando que na politica se está e nao se é, condicionando opçoes e opinioes nem sempre em favor dos melhores.
Esquecem o seu passado e sobretudo procuram entravar o seu futuro comprazendo-se em funestas exumaçoes que, felizmente ainda nao têm razao de ser.
Meu caro Tozé sei-te avesso ao elogio mas nao resisto a um abraço.

Anónimo disse...

O gajo já acabou o curso de direito?
ou ainda se balda às aulas?

Anónimo disse...

o gajo, tal como o filho, quedou-se pelo 2.º ano incompleto de direito. Filho de peixe sabe nadar!
Isto diz ele porque pelo desrespeito que Vilar tem pela Democracia jamais pode ter frequentado uma aula de direito

Anónimo disse...

Ao amigo que ecreveu pelas longas 4:46 PM :
Não conheço assim tão bem esse ToZé. Sou apenas um leitor e cidadão não militante em nenhum partido a não ser o partido que é a minha família. Aprendi a ver o António Seguro como um produto puro e simples do aparelho do PS. Muita sorte teve na vida. Não terminou a licenciatura cedo ( apenas o fez quando foi para parlamentar europeu) coitado porque fez o enorme sacrificio de ser deputado novo. Depois Secretário de Estado e Ministro. Depois deputado europeu e depois de novo deputado. Temos portanto de ter muita pena de quem, por muita simpatia que o aparelho do PS tenha por ele, não preciou de trabalhar e mostrar a sua competência no mercado como todos os portugueses, emerge do PS para todos lugares públicos onde toma decisões em nome de todos nós, mas sem qq legitimidade ou conhecimento pelo mundo do trabalho.
E u estou naturalmente contra TODOS OS TOZES da política e este em concreto não co0nheço e como pessoa pode e seguramente é digno da maior consideração e respeito

Anónimo disse...

ah! e para que não haja equivocos o que escrevi agora acima serve para Sócrates, Alegre, Marques Mendes, Santana e todos os outros da mesma linhagem.

jf silva disse...

Seria muito saudável que se interditasse a admissão de menores de 30 anos em quaisquer cargos políticos ou de nomeação política - assessores incluídos. Livrar-nos-íamos desses "jovens" (e menos jovens, vide Marques Mendes) políticos que jamais trabalharam.

É uma questão de salubridade do mercado laboral, mas também de maturidade da classe política. Como pode um político profissional desde os 20 anos ter experiência, conhecimento e moral para decidir os destinos do erário público?

Anónimo disse...

POSTADOR DAS 11:01 AM :

Não se estava a falar do Vilar nem do filho do Vilar, mas sim de António José Seguro que se ficou com 2.º ano de Economia esse curso ele nunca acabou, aproveitou os 4 anos que esteve no parlamento europeu e fez a licenciatura em Relações Internacionais e já vai no Mestrado....Quem tem dinheiro...é assim...sempre a abrir

Anónimo disse...

Nunca cheguei a perceber esta questão dos políticos profissionais. Qual é o problema em ser politico profissional? os suposto iluminados e trabalhadores que produziram alguns dos "post" acima deviam, em vez de escrever disparates, ler e aprender, talvez aperceberem-se que esta discussão sem fundamento apenas tem lugar em Portugal, pois nas democracias por essa Europa fora esta questão não se põe…os políticos dos grandes partidos europeus são na sua grande maioria políticos profissionais. Quem garante que um professor, um técnico especializado, é melhor ministro que um politico profissional? Temos até alguns exemplos em sentido contrário.

Quanto ao António José Seguro tomará que haja muitos mais como ele, políticos desta sensibilidade e qualidade, infelizmente, temos muito poucos…ainda bem que ele está a regressar é sem dúvida um sinal de esperança.

Anónimo disse...

EU DIRIA POLÍTICOS "À GUTERRES" MAS SEM O SEU SABER E COMPETÊNCIA. FORAM OS POLÍTICOS "À GUTERRES" QUE DEIXARAM O PAÍS DE PANTANAS!

Anónimo disse...

RESPONDENDO AO POSTADOR DAS 5:18 PM : o postador disse - " ...pois nas democracias por essa Europa fora esta questão não se põe…os políticos dos grandes partidos europeus são na sua grande maioria políticos profissionais...".
EU RESPONDO-LHE - não, essa não é a regras nas outras democracias europeias, como aliás é normal. Se me disser, também há politicos profissionais nos outros paíeses eu digo-lhe concerteza, mas não é nem pode ser a regra.
Pessoas que sem adquirirem qualquer experiência de vida profissional, sem qualificações não podem produzir boas legislações, não podem governar bem.
Pergunte lá a qq multinacional ou grande empresa quem tem como administradores e gestores de topo. Veja lá se vê lá algum estudante!!!!

Anónimo disse...

Quanto ao que afirmou o postador das 5:18PM "...Quem garante que um professor, um técnico especializado, é melhor ministro que um politico profissional? Temos até alguns exemplos em sentido contrário..." eu respondo-lhe há exemplos marginais em ambos os sentidos, aliás seguindo a regra de que não há regra sem excepção. Claro que há políticos sem qualquer competência especial e que deram excelentes governantes e há o contrário. Mas vamos ver se nos entendemos:
Quem está mais preparado para governar é quem tem mais competências técnicas. Não pode é ser meramente técnico, temd e ter intuição e sensibilidade política. Agora ter só sensibilidade e intuição política não chega manifestamente. Diria mesmo que os casos que quis dar de bons governantes que não eram competentes tecnicamente só puderam ser bons governantes por terem escolhido uma excelente equipa técnica e isso permitiu a esses políticos profissionais brilahr pois as soluções que aplicaram estavam bem preparadas tecnicamente, mesmo que ele não visse um boi daquilo.
Agora a prática diz-nos que os políticos profissionais têm uma tendência para escolher pessoas da mesma laia e isso tem dado regra geral os resultados miseráveis que são conhecidos

Anónimo disse...

Parabens pela resposta que deu. Gostei e subscrevo. É evidente que para qq pessoa "normal" e que não tenha interesses especiais em defender o indefensável, quem melhor preparado está tecnicamente terá maisores probabilidades de ser um Bom Governante. Oq ue poderei dizer para completar é que isso não basta e para se ter um governante de topo é preciso que ele seja bom tecnicamente e tenha sagacidade e astúcia política, senão teremos um simples burocrata.
Agora o inverso, ou seja, ter um político profissionalç sem qq especialidade técnica terá grandes probabilidades de dar um mau governante, a menos que por ter muito intuição política escolha um excelente gabinete, uma excelente equipa de secretários de estado e outros ajudantes, para que ele só sirva para fazer política.

Anónimo disse...

Um líder não é banalizado num blog como este.

Anónimo disse...

Claro claro.... os fanaticos do regime dão estes respostas-: vejam os apoiantes de sadam e outros ditadores...os fanáticos são assm