terça-feira, julho 25, 2006

O EXEMPLO DE MANUEL ALEGRE. RDP DÁ-LHE DIREITO A REFORMA DE 3.219,95 POR AÍ TER TRABALHADO ALGUNS MESES.


Manuel Alegre, vice-presidente da Assembleia da República, reforma-se, com 3219,95 euros mensais, da RDP onde apenas trabalhou de 1974 a 1975, segundo a lista dos aposentados e reformados divulgada pela Caixa Geral de Aposentações (CGA).
Político e escritor, Alegre tinha bem escondida dos portugueses e dos amigos a profissão de funcionário da RDP.
Admitindo ter ingressado nos quadros da RDP pouco depois de “regressar a Portugal”, vindo do exílio em Argel, Manuel Alegre confessa que esteve “pouco tempo” nas funções de director dos Serviços Criativo e Culturais da RDP.
Isto porque nas primeiras eleições democráticas, para a Assembleia Constituinte, realizadas no dia 25 de Abril de 1975, foi “eleito deputado”, tendo desde então sido sucessivamente reeleito, razão pela qual nunca mais voltou a trabalhar na rádio. Mas, acrescenta, “se por alguma razão não fosse eleito deputado, teria regressado para RDP”.
Manuel Alegre é junto com Jaime Gama, Miranda Calha (ambos também do PS) e Mota Amaral (PSD) um dos quatro únicos políticos portugueses que sempre foi eleito deputado à Assembleia da República.
Ana Sara Brito considera que Alegre “devia era doar a reforma ao MIC”, Movimento de Intervenção Cívica, criado na sequência da votação obtida (mais de um milhão votos) por Alegre nas eleições presidenciais.
in correio da manhã...
- Correio da Manhã - É verdade que vai receber 3 219,95 euros de reforma da rádio?
- Manuel Alegre – Vou receber um terço. Como deputado não posso acumular o vencimento com a reforma. Optei pelo ordenado e um terço da reforma.
– Correio da Manhã - Não parece mal uma reforma por tão pouco tempo?
- Manuel Alegre - Só posso sublinhar que é legal. O Presidente da República também não recebe duas ou três reformas do Estado, além do vencimento? Mas eu nem questiono isso, que ele é uma pessoa séria.
Esquece-se Manuel Alegre que o Presidente da República recebe as reformas resultantes de trabalho efectivo: professor universitário e alto quadro do Banco de Portugal. Ao contrário de si próprio que toda a vida viveu à custa do PS e dos cargos políticos. Desde 1975 que é sucessivamente eleito deputado.
Feitas as contas: cerca de € 6000 da Assembelia da República, mais € 3219 da RDP ( mesmo dando lugar à um corte de 1/3 ), mais o produtos da venda dos seus livros ...não me venha falar, do alto da sua teoria, dos portugueses que vivem do ordenado mínimo nacional!

21 comentários:

Anónimo disse...

Quando a cota não dá com a perdigota.

eu sou burro disse...

mas como pode alguem ou alguma instituição continuar a descontar se não há vencimento desse lugar????

isto é se eu trabalha-se lá e fosse eleito a radio continuava a descontar mesmo sem vencimento??

Anónimo disse...

Eu como votante convicto do PS e apoiante da candidatura de Manuel Alegre, sinto-me envergonhado pela desfaçatez de se achar isto normal, legal e moral!
Nós anónimos contibuintes é que nos lixamos sempre!!!

Anónimo disse...

Alegre tens de explicar esta "estória" muito bem. Se é calunia o que dizem, tens de accionar judicialmente os maldizentes.

Brecht disse...

tal como na religião não são os principios que estão mal,são os homens que os desvirtuam.

Anónimo disse...

E agora, Elísio, não escreves nada para o jornal? E o MIC, existe? Queriam a massa do Alegre? Que ricos meninos me sairam.

Anónimo disse...

isto é uma vergonha.meia duzia de deficientes que nao interpretam a lei convenientemente.entao o marinho tb nao tem uma reforma do parlamento europeu.TEM.pergunta e quando deixar de exercer direito,abdicará da sua reforma devida pela profissao exercida?

Anónimo disse...

Tem toda a razão o comentador acima. Manuel Alegre era funcionário do quadro da RDP. Ora como a eleição para cargos políticos não pode prejudicar a carreira de cada um, tal significa que os anos passados no desempenho de funções políticas conta como se tivessem sido desepenhados no lugar de origem ( RDP) portanto, ao fazer 70 anos de idade Manuel Alegre teve obrigatoriamente de se reformar da RDP, apesar de aí ter trabalhado apenas 4 ou 5 meses.

Anónimo disse...

Agora, não deixa de ser imoral. Eu defendo que os políticos profissionais, a partir do momento que deixem de trabalhar ininterruptamente mais de 10 anos deveriam ser penalizados por isso.
É que Alegre tb terá direito a uma pensaão pelo exercício dos vários mandatos de deputado, ou não é assim? Agora com as regras de moralização de José Sócrates terá uma pensão unificada que corresponderá ao dois exercícios quando na verdade Manuel Alegre não trabalhou na RDP.
É MORALMENTE INACEITÁVEL.

Anónimo disse...

qUERER COMPARAR-SE AO ACTUAL pRESIDENTE DA rEPÚBLICA OU A ANTERIORES PRESIDENTES É NO MÍNIMO RIDÍCUILO. É QUE CAVACO SILVA TEM UMA CARREIRA INTEIRA FEITA NA UNIVERSIDADE, ONDE EFECTIVAMENTE TRABALHOU, ASSIM COMO NO BANCO DE PORTUGAL.
MERECE POR ISSO REFORMA DESSES LOCAIS. ALEGRE NÃO TRABALHOU DE FACTO NA RDP.
É A DIFERENÇA.
ALEGRE SEMPRE FOI UM BON VIVANT, BURGUÊS, DA CHAMADA INTELECTUALIDADE DE ESQUERDA QUE NA VERDADE CORRESPONDE AO PIOR DOS SNOBISMOS DE DIREITA. É DE UMA FAMÍLAI TRADICIONAL NOBRE E GOSTA DE O AFIRMAR.

Anónimo disse...

ó esperta das 12:42 PM :
Ora nas suas palavras está a resposta: reforma pela actividade exercida. O Alegre não exercer nenhuma actividade na RDP, trabalhou lá 4 ou 5 meses. Ninguém discute que terá direito à reforma da Assembleia onde ele realmente esteve durante 30 anos. Agoar da RDP. O Marinho terá direito à reforma do Parlamento porque lá trabalhou e agora voltou a dar aulas e há-de receber reforma da FBB quando tiver 70 anos, mas terá lá trabalhado.

Anónimo disse...

Ser-se deputado e continuar a descontar no seu lugar de origem é a mesma coisa que ser-se funcionário da Câmara Municipal e estar num gabinete de um membro do governo, se não sair de lá, mais o tempo que esteve acumula com o restante e conta para a reforma.
Tudo isto é discutível,mas é a Lei, mas se está mal alterem a lei com efeitos imediatos.assim os que dizem hoje estas coisas e criticam e exploram situações para denegrir a imagem dos outros já não vão beneficiar e já não vão ser criticados.
Estas notícias só interessam a pessoas menores viciadas no mal dizer, para aguentar o taxo. A má consciencia é .... tramada.
Pelos vistos o M.Alegre mete medo a muita gente.Há sempre alguem que resiste há sempre alguem que diz não.Quem faz estas notícias só contribui para a descredibilização da democracia e suas instituições, não admira, pois não sabem o que é fascismo, mas vivem dos seus resquicios.

Anónimo disse...

É exactamente isso, apesar de ser diferente trabalahr 6,7,ou 8 anos e depois não voltar ao lugar de origem a trabalhar 4 meses, mas enfim...
A Lei já foi mudada e hoje a pensão é unificada.
Pior são os sindicalistas que não fazem nada, aproveitam não estar a trabalhar nem a contribuir para o serviço ou para o Estado, usarem as horas de suposto trabalho sindical para fazerem outra vidinha e darem formação e arrotarem lá de cima do alto da impunidade criticando uns e outros. Essa devia ser a próxima mama a acabar.
A inveja é realmente tramada, mas aqui ninguém tem inveja do Alegre e família. Inveja de quê já agora? O problema é que o Alegre e seus apoiantes mais fervorosos não podem estar sempre à espera de criticar os outros. A Democracia pela qual ele lutou pressupõe saber receber criticas também!
Disse.
ass.
Professora do ensino primário.
Escola Primária de Sta Comba Dão.

Anónimo disse...

mas porqur tantos lutaram para que fosse instituidada a democracia?
Não era tambem para acabar com tanta iniquidade e desigualdades?
Que se fez depois de Abril?
Aprofundou-se o desiquilibrio social.
Felizmente que ainda não acabou a liberdade de expressão...por enquanto.

Anónimo disse...

Meus Deus!TANTA IGNORÂNCIA.
Aos comentadores das 12:19 PM e 1:24 AM :

Em primeiro lugar nada do que o(a) anónimo das 12:19 disse faz sentido. Primeiro porque pensões acumuladas só políticos tipo alegre(que estão no hemiciclo há muito) podem ter pois a lei foi entretanto alterada;
Depois porque só políticos tipo Alegre terão hoje direito a 90% do seu ordenado no activo, mais 1/3 da pensão ou vice-versa;
É que políticos mais jovenzinhos já só terão direito quando chegar a vez deles a 70% do ordenado, ainda que ele seja unificado.
QUANDO À CRÍTICA AOS SINDICALISTAS do anónimo(a) da 1:24 não é justa pois desempenharame desempenham um importante papel social. Agora tal como noutras profissões há bons e maus sindicalistas e eu conheço alguns e algumas que usam e abusam dessa condição para não meter o pé no trabalho e aproveitarem os dias livres para arranjarem outras funções.Esses sindicalistas deveriam regressar aos locais de trabalho.
Portanto, acho que os sindicatos são importantes, mas concordo que se limitem os lugares que permitam passar o tempo todo a acumular créditos para não mais voltarem ao trabalho.

Brecht disse...

realmente foi muita ignorância porque fomos conduzidos a "ela" desde Abril.
Felizmente que Socrates tem vindo mesmo com dificuldades a colocar alguma ética nisto,mesmo assim sabe a pouco num Pais com tantas desigualdades e esta de se manter um terço não se entende.
Mas desde Abril foi um fartar e por isso a segurança social chegou onde chegou.
E olhe que isto não é populismo de direita como por vezes querem fazer crer......percebeu??

Anónimo disse...

é verdade. nenhuma espécie de cota bate com a perdigota mas que há quem aproveita da dita, lá isso há

Anónimo disse...

ao comentador ou comentadora das 3:58 PM :

reforma pela actividade profissional? Meu Deus ! Mas o Alegre nem se lembrava que havia lá trabalhado!!!!!! dito pelo próprio

Anónimo disse...

Se de facto Alegre não se lembra de ter trabalhado na RDP, às tantas não trabalhou mesmo... Portanto, como grande lutador pelas causas justas, só lhe resta um caminho.,é prescindir da reforma alegando que deverá ter havido algum engano na dita....

Anónimo disse...

Hoje o partido socialista já não tem qualquer desculpa porquanto deverá aproveitar a maioria absoluta para acabar de uma vez por todas com todas as injustiças que existem na sociedade portuguesa, doia a quem doer....O que está bem deverá deixar ficar como está, o que estiver mal deverá ràpidamente pôr bem nem que para isso tenha de criar mecanismos e legislação para tal.O verdadeiro povo certamente não irá perdoar o Ps se assim não for...

Anónimo disse...

Salazar volta estás perdoado